Campanha da Acipi e do Boa Vista SCPC começa no dia 11

Levantamento de junho deste ano mostra que 50,46% dos endividados devem valores de até R$ 500. (Foto: Amanda Vieira/JP)

No ano de 2019, pela quinta vez, a Acipi adere a iniciativa da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) de promover a campanha “Acertando suas Contas”, que consiste em intensificar a sensibilização de consumidores inadimplentes, a fim de incentivá-los a limpar seus nomes.

Em Piracicaba, a ação será de 11 de novembro a 13 de dezembro. “Esta é uma época propícia, dado o pagamento do 13° salário. Assim, a partir da entrada do dinheiro extra no orçamento, consumidores em débito podem quitar suas dívidas e/ou renegociá-las”, informou a assessoria da Acipi.

Neste período, o atendimento à população acontecem em todas as unidades da entidade, sede (Centro), escritório regional (Santa Teresinha) e Acipi Móvel (Terminal Central), em horário comercial (físico) e das 10h às 16h (móvel). “Para tanto, é necessária a presença do inadimplente com documento com foto”, informa a Acipi.

Neste ano, a Acipi deixa à disposição dos associados a Central de Recuperação de Crédito durante a campanha.

Este novo serviço visa proporcionar comodidade aos associados, pois, a partir da adesão, é dada à Acipi a permissão de negociar em nome da empresa, o que agiliza e facilita o processo de recebimento.

Para as associadas que não optarem pelo CRC, os devedores que sinalizarem interesse de pagamento serão instruídos a renegociarem e pagarem diretamente com a empresa. “A entidade estimula que, durante a ação, sejam oferecidas condições especiais para clientes participantes, pois estão propícios à quitação”.

Conforme o levantamento de junho deste ano, realizado pela Boa Vista SCPC, 50,46% dos endividados estão inadimplentes por valores de, no máximo, R$ 500. Entre os gêneros, são as mulheres que mais somam dívidas, correspondendo a 53,7% do total. Pela perspectiva da faixa etária, é a terceira idade (mais de 65 anos) os que mais somam problemas financeiros (24,22%), seguida das pessoas entre 30 e 39 anos (22,70%).

Da Redação