Câncer de Próstata Novembro Azul”

Luiz Xavier

A próstata é um órgão muito pequeno, tem a forma de maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata faz parte do aparelho reprodutor masculino e sua principal função é produzir parte do líquido que forma o sêmen ou esperma, líquido espesso que é produzido por estruturas glandulares e possui propriedades que ajudam a nutrir e preservar a integridade dos espermatozoides, liberado durante o ato sexual. O câncer da próstata é uma consequência da transformação das células destas estruturas, que passam a se proliferarem de forma anormal e ganham a capacidade de invadir o órgão e até, em alguns casos, circular pelo corpo e produzir tumores em outras partes do corpo (chamado de metástase).

O principal fator de risco para o câncer da próstata é a idade. Quanto mais velha é a pessoa, maior a chance de desenvolver a doença. História familiar em parentes de primeiro grau também aumenta a chance de desenvolver a doença. Porém, fatores como tabagismo e obesidade podem ser considerados decisivos. Muitas vezes os sintomas não aparecem e o câncer já esta lá na próstata. Isso não significa que a presença do câncer vá trazer imediatamente um problema. Entretanto, em alguns casos, podem surgir sintomas como ardência urinária, dor ao urinar, jato fraco da urina e raias de sangue no esperma. Quando esses sintomas aparecem, é muito mais provável que eles sejam consequência de uma doença benigna (como hiperplasia da próstata) do que decorrentes de um câncer.

A melhor forma de prevenir a doença é manter hábitos de vida saudável, “ouvir” o próprio corpo e procurar um médico para realizar exames preventivos periódicos. O benefício da prevenção do câncer de próstata por meio do toque retal, dosagem do PSA (Antígeno Prostático Específico – substância no sangue produzida pela próstata) e tomografia computadorizada é fundamental na prevenção. Quem já teve um parente de primeiro grau com câncer da próstata e/ou é afrodescendente, deve estar mais atento, já que o risco é maior nessa população. As chances de cura estão diretamente relacionadas ao estágio em que a doença for diagnosticada. Nos estágios iniciais, quando está localizada e não apresenta metástase, é possível remover a próstata e as células cancerígenas, com grandes chances de cura. Estima-se que 90% dos casos podem ser curados se diagnosticados precocemente. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, sete homens recebem o diagnóstico de câncer de próstata por hora. No total, são mais de 68.000 novos casos por ano. Cerca de 20% dos pacientes falecem em decorrência da doença.

Como é feito o “temido” exame de toque?
O exame toque retal, ao contrário do que muitos pensam, é praticamente indolor (a menos que a próstata esteja com uma grande inflamação). Também é importante destacar que o toque dura poucos segundos. Além de garantir uma solução mais completa para a saúde, essa análise não compromete a masculinidade dos homens. Isso não tira nem diminui a virilidade do homem. Por preconceito, muitos deixam de fazer o exame e não percebem que estão doentes.

Mais uma informação relevante: o exame de próstata é feito com a análise de sangue de PSA. Um procedimento não exclui o outro, pois há homens que têm os níveis de PSA aumentados e não têm o câncer, mas problemas como prostatite. Por isso, é necessário que um médico avalie o quadro completo. É aconselhável que os homens acima de 50 anos façam exames anuais. No entanto, se o indivíduo tiver histórico na família, o exame pode começar a ser solicitado aos 40 anos de idade.

Por ser um dos tipos de câncer mais perigosos é que a sociedade tem se mobilizado em campanhas do Novembro Azul.

(As informações acima foram obtidas no Hospital do Câncer de Barretos e no INCA Instituto Nacional de Câncer)