Cane Cutters voltam a jogar bem e vencem

futebol americano Após duas rodadas, o Piracicaba Cane Cutters lidera a fase de grupos. ( Foto: Pannda Audio Visual)

O Piracicaba Cane Cutters é o algoz das equipes de Campinas na Taça 9 de Julho, competição organizada pela Fefasp (Federação de Futebol Americano de São Paulo). Após vencer o Guarani Indians na estreia, o time piracicabano bateu neste domingo (23) a Ponte Preta Gorilas, por 22×8, em duelo válido pela segunda rodada, disputado no campo do Esporte Clube Rezende, em Piracicaba. Os Cutters ocupam agora a liderança isolada do grupo e folgam na próxima rodada, marcada para o dia 7 de outubro.

Na sequência, o adversário do time piracicabano será o atual campeão Leme Lizards, em Limeira, no dia 21 de outubro. A última jornada da fase classificatória acontece no dia 4 de novembro, em Campinas. Na ocasião, os Cutters enfrentam o Tomahawk. “A gente precisava de uma vitória em casa, como fizemos contra a Ponte Preta, para resgatar a confiança da torcida. Era um evento grande, o pessoal estava nos apoiando. Nós queríamos mostrar que somos um time forte. O objetivo é conquistar a Taça 9 de Julho e, ano que vem, disputar a SPFL com o mesmo pensamento”, disse o linebacker Kako.

Contra os Gorilas, o Piracicaba Cane Cutters abriu o placar no início da partida, com um touchdown de Giovane Gallina após passe do quarterback Yaggo Brito. O jogo, porém, ficou amarrado no restante do primeiro tempo, com as defesas sobressaindo de ambos os lados. Na volta para o terceiro quarto, a Ponte Preta entrou em campo ligada e conseguiu a virada rapidamente, mas a vantagem durou pouco: em nova conexão entre Brito e Gallina, os Cutters retomaram o controle do confronto. Lucas Melo ainda conseguiu interceptação retornada para touchdown, dando números finais ao marcador.

ENCAIXE

“O nosso ataque tem se saído bem e encaixado nos momentos em que necessita encaixar. Contra a Ponte Preta, nós tomamos a virada, mas logo na sequência jogamos um balde de água fria na reação dos caras. No jogo contra o Guarani, foi a mesma coisa: saímos atrás e tivemos maturidade para atacar. Acredito que o fator diferencial que nós temos em relação ao último campeonato é a maturidade. A gente aprendeu a lidar com as situações adversas que acontecem em uma partida”, afirmou o quarterback. O papel defensivo também foi destacado pelo grupo.

“Nós fizemos uma partida muito sólida, com o elenco reduzido, permitindo poucas primeiras descidas. Cometemos alguns erros, como as faltas, e tomamos um touchdown, mas não nos abalamos. Jogamos o que a gente sabe, o que treinamos. O ataque pontou bem mais uma vez e saímos com o resultado positivo. As duas vitórias seguidas aumentam muito a confiança da equipe. São duas vitórias tomando apenas um touchdown por jogo, fazendo mais de 20 pontos, atuação sólida em todos os aspectos. Estamos caminhando para nos tornarmos uma grande equipe”, finalizou Kako.

(Líder Esportes)