terça-feira, 2 de setembro de 2014
  

Bando leva terror a Santa Teresinha com explosões e incêndio

Ignácio Garcia Jr.
sexta-feira, 16 de agosto de 2013 9h39

A+  |  A-     
ENVIAR      IMPRIMIR          
Foto: Claudinho Coradini/JP

Cinco criminosos — quatro homens e uma mulher — foram presos pelo menos três horas depois de explodirem dois caixas eletrônicos da agência do Banco do Brasil, na avenida Virgílio da Silva Fagundes, bairro Santa Teresinha, às 4h de quinta-feira (15/08). A quadrilha usou bananas de dinamite para detonar os terminais. O bando também explodiu bombas caseiras cheias de pregos em frente à agência. O objetivo era furar os pneus das viaturas da Polícia Militar. Segundo a PM, simultaneamente, a quadrilha posicionou um Volkswagen Golf ou Gol preto na frente do CDP (Centro de Detenção Provisória) tentando despistar a polícia. O carro ficou com os faróis acesos e voltado para a unidade prisional.

Durante a ação, a quadrilha estava fortemente armada e teria usado mais três veículos — um Chevrolet Blazer verde escuro, uma moto Yamaha XT 660 preta e um Ford Focus branco. Na fuga, o grupo abandonou e incendiou o Focus na rua André Ferraz de Sampaio, atrás da Escola Estadual Catharina Casale Padovani. O veículo foi completamente destruído pelo fogo. Conforme a PM, a intenção dos criminosos era atrasar o trabalho da polícia. O carro era produto de roubo ocorrido dia 8 em Ártemis. Depois de incendiar o veículo, o bando fugiu com a Blazer e a moto.

Os irmãos Daniel e Fabiana Almeida Guimenes, respectivamente com 30 e 40 anos, o companheiro dela, Edcarlos de Santana Evangelista, o Baiano, 23, Guilherme Henrique de Souza Castellano e Wellington Guirado Vicente, ambos com 20 anos, foram localizados às 7h, em duas casas na rua Dracena, na Vila Rios, região de Santa Teresinha. Todos vão responder por formação de quadrilha, explosão e furto a estabelecimento comercial bancário. Eles foram levados ao 5º DP (Distrito Policial) e seriam encaminhados para o sistema prisional.

Foram apreendidas quatro armas de fogo — um rifle calibre 22 com mira telescópica, silenciador e oito munições; um revólver Taurus calibre 38 com seis munições; outro calibre 38, com numeração suprimida e cinco cartuchos intactos; uma pistola Taurus calibre 380, com dois carregadores e 27 munições; duas bananas de dinamite caseiras e outras cinco bombas de pregos, montadas com canos de PVC e fita isolante; dois coletes à prova de balas; cinco capuzes; oito celulares; uma alavanca de ferro, um par de luvas, uma câmera fotográfica, duas lanternas e documentos dos suspeitos.

Também foi apreendida uma blusa de moletom. Dentro de um dos bolsos havia uma nota de R$ 10 picotada, com sinais de estar queimada. Pelo menos R$ 1.202 foram apreendidos — em notas de R$ 100, R$ 50, R$ 10 e R$ 2. A suspeita é que seriam do banco. Houve ainda a apreensão de dois cheques — um em branco e outro no valor de R$ 130. Os criminosos foram presos em duas casas na rua Dracena, Vila Rios, a a 2,7 km do banco (leia texto nessa página).

A ocorrência começou a ser atendida pelo cabo Maurício e soldado Diogo (nomes de farda). Em seguida, equipes das 1ª e 5ª Companhias apoiaram para capturar a quadrilha. O Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) veio de São Paulo ontem para a detonação dos dois artefatos explosivos.

 


Leia a íntegra da reportagem na edição impressa do JP ou no JP Virtual

 


 



 Copyright © 1995-2012
 Fundado em 4 de agosto de 1900
 Trabalhe Conosco






Assine o Jornal de Piracicaba: 19 3428 4190
Balcão Pequenos Anúncios: 19 3428 4140