,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Médicos priorizam conhecimento e humanização
  • Santa Casa comemora Dia do Médico
  • Unimep comemora 45 anos do programa de pós-graduação em educação

Cartas do leitor 19/04/2017
Da Redação
19/04/2017 16h47
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

2018, como será? — Em 2018 teremos eleições federais, aí vem uma pergunta que não quer calar: quem serão os candidatos aos cargos políticos que teremos que eleger? Uma vez que a Lava Jato se arrasta por três longos anos e a cada novo dia surgem mais e mais políticos envolvidos em escândalos de corrupção, além de percebermos que os três poderes estão sim preocupados não em resolver definitivamente esta questão, até porque não teríamos prisões suficientes para colocá- los, mas estão sim a cada dia articulando novas artimanhas para atrapalhar as investigações, julgamento e condenações dos réus. Começaram com a tentativa de perdoar aos envolvidos com promessas de que doravante seria diferente. Depois passou-se a criar uma celeuma em torno da reforma trabalhista, agora estão alvoroçando a nação com a reforma da aposentadoria, sem contar as investidas em aumentar as taxas tributárias, tudo isso para tirar o foco da sociedade em relação à Lava Jato. Enfim, 2018 vem aí e pelo andar da carruagem serão esses mesmos políticos candidatos a se reelegerem. Analisamos o cenário político e não vemos e nem temos alguém, digamos, revolucionário e honesto o suficiente para conduzir a nação em um caminho mais honroso, já que o brasileiro é um povo descompromissado com suas obrigações de cidadão a única esperança talvez, sim, digo talvez porque um povo sem identidade, sem cultura, semianalfabeto, não gera nada de produtivo, então talvez em um rampante mental tenhamos a coragem de responder a esses políticos nas urnas, anulando o seu voto, assim teremos novas eleições onde todos os candidatos não poderão concorrer ao pleito eleitoral. Alguns vão achar que estou sendo ridículo, mas infelizmente hoje esta é a única arma que temos contra os descalabros que estão ocorrendo na política do país. Claro que se as urnas não forem corrompidas como foram na última eleição federal, quando num passe de mágica a sra. Dilma foi reeleita, só nos resta esperar e sonhar com um salvador da pátria para 2018. João Dimas Chain Aboude - empresário

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar