,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Médicos priorizam conhecimento e humanização
  • Santa Casa comemora Dia do Médico
  • Unimep comemora 45 anos do programa de pós-graduação em educação

Cartas do leitor 30/05/2017
Da Redação
30/05/2017 12h00
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

Judicialização da saúde — Enquanto sobra muito dinheiro para o governo federal, através de seus bancos oficiais, patrocinar inúmeros clubes nas mais variadas modalidades esportivas; gastar fortunas com propagandas tendenciosas em jornais, revistas e em horário nobre nas TVs; gastos freqüentes com almoços e jantares para políticos, partidos políticos e empresários para o tal “apoio” político; pagamentos abusivos da dívida pública; perdão de dívidas e refinanciamento de governos e empresas suspeitas e comprovadamente corruptos, enfim, não faltam recursos para as vantagens, mordomias, regalias, privilégios e outros tantos adjetivos do gênero. No entanto, sempre ouvimos a mesma desculpa esfarrapada do governo sobre a falta de recursos, principalmente para a área da saúde e em especial para o atendimento das crianças e idosos, os quais mais vulneráveis precisam ser amparados através da judicialização. Ora, não é possível ter tanto dinheiro para tantas aberrações e ficar procrastinando os direitos básicos do cidadão. A sorte de vossas excelências é que o nosso povo é manso e humilde com relação a política, bem ao contrário do futebol onde a maioria parece um touro, um leão. Espero que essa relação e ou essa ordem se inverta para o bem de todos. A palavra de Deus diz que devemos orar pelos os nossos inimigos, porém o sofrimento causado por corruptos e corruptores, os quintos dos infernos ainda é pouco pelo mal que esses traidores inescrupulosos causam à nossa sociedade. Muita saúde e dignidade a todos, pois a paciência acabou já faz tempo. Carlos Maronese, tecnólogo em logística

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar