Casa do Bom Menino inicia 7ª edição do Projeto Menino Gourmet

Projeto, realizado desde 2012, oferece ao jovens a oportunidade de novos aprendizados. (foto: Amanda Vieira/JP)

A 7ª edição do projeto Menino Gourmet, terá início hoje, às 19h, na cozinha escola do projeto menino gourmet, na casa do Bom Menino.

A aula inaugural conta com a presença dos 40 alunos. As aulas todas as terças e quintas-feiras e o curso termina em 21 de novembro, a formatura será no mês seguinte com a competição “Masterchef”, onde os alunos apresentam um prato, que será julgado e depois os três primeiros serão premiados.

Este ano a estrutura das aulas e o cronograma dos temas a serem trabalhados foram aprimorados. Além disso, foram feitas parcerias com novos professores e coordenadores. “Mudamos a proposta de abordagem dos temas trabalhados, a fim de propiciar a apresentação de diferentes técnicas em aulas e proporcionar maior absorção do conteúdo por parte dos cursistas”, explica a supervisora de projetos na Casa do Bom Menino Kelly Monaco Coletti.

Segundo Kelly antes era escolhido um tema e uma receita para ser estudado na aula. “agora trabalharemos com temas maiores, onde a gente pode numa mesma aula apresentar diferentes técnicas e fazer por vezes diferentes receitas”.

As aulas serão dívidas em módulo às práticas são de higiene e manipulação, habilidades de cozinha, introdução a confeitaria e panificação, culinária brasileira, americana, árabe, japonesa e italiana. As aulas teóricas são de marketing, venda direta, mídias sociais e vendas e mercado de trabalho.

Realizar um curso de gastronomia requer organização e dedicação por isso as expectativas sempre são altas.“A expectativa estão altas como sempre, nós queremos proporcionar, aos cursistas, o contato com a gastronomia, motivando-os a ampliar seus conhecimentos e habilidades, com a intenção de oferecer-lhes alternativas que os auxiliem a empreender de forma autônoma e/ou a inserirem-se no mercado de trabalho”, enfatiza a supervisora de projetos.

PROJETO

O projeto começou em 2012, quando houve a necessidade de obter uma renda para que os adolescentes pudessem realizar atividades. Então, puderam produzir pães e vender para os próprios funcionários do abrigo. Em seu primeiro ano, foram mais de 40 crianças e adolescentes que passaram pelas oficinas e dentre estes, 10 se formaram e concluíram o curso com mais de 50% de frequência. De 2012 a 2017 o projeto teve 100 pessoas formadas com o curso profissionalizante Menino Gourmet.

Letícia Azevedo
[email protected]