Casa do Hip Hop resgata o grafite em Piracicaba

Foto: Amanda Vieiria/JP

A Casa de Cultura Hip Hop de Piracicaba participou da revitalização da Praça dos Frades, oficialmente chamada ‘Praça Papa João XXIII’, contribuindo com a arte do lugar por meio do grafite. A intervenção faz parte do Projeto Graffitti, desenvolvido pela instituição há cerca de dois anos.

De acordo com Antonio Santos da Silva, o Tom, um dos grafiteiros do projeto, o objetivo do Grafitti, que também ministra oficinas abertas e gratuitas, é possibilitar que qualquer pessoa conheça a cultura do hip hop por meio da arte. “O trabalho em si é o de divulgar o hip hop por meio do grafite, além de dar oportunidade para que as pessoas conheçam e participem da cultura”, afirma. “Trabalhamos não só o artístico, mas também o caráter, a autoestima e valores. Trabalhamos o cidadão, dando uma perspectiva de vida diferente da qual estamos acostumados”.

O trabalho artístico na Praça dos Frades aconteceu por meio de uma parceria entre a Casa do Hip Hop e a Unimed Piracicaba, que recentemente adotou os cuidados do lugar. “A proposta veio de encontro com o que já vinhamos construindo. Fechamos a ideia de trabalhar com aves da fauna brasileira, e então saiu esse trabalho maravilhoso”, conta o artista.

O grafite, feito por quatro integrantes do projeto – Tom, Adilson Morais, Thiago Montanheri e ‘Quadro’ – foi pensado além do padrão estético, mas também com a intenção de atrair a comunidade, conforme explica o grafiteiro Adilson, mais conhecido como Dilsão. “Ainda existe muito preconceito com a arte de rua, na maioria das vezes não temos apoio, mas o grafite é um trabalho de resgate cultural voltado à comunidade”, diz.

O Projeto Graffitti já realizou diversas outras intervenções pela cidade, como a pista de skate da Paulicéia e na área de lazer do Piracicamirim, e continua sempre em busca de novos trabalhos que atraiam os olhares da sociedade. “O grafite é uma expressão artística que foca em chamar a atenção do poder público para áreas de risco e que precisam de segurança. O grafite é um denunciador que permanece protestando no lugar mesmo quando já saímos dali”, ressalta Dilsão.

O grupo prepara-se agora para apresentar seu trabalho no evento Rio das Artes, promovido pelo Sesc neste segundo semestre de 2019, com a proposta de valorizar as artes plásticas e visuais, além promover o intercâmbio cultural em Piracicaba e região. O trabalho continua e a arte do grafite também.

Mariana Requena