Casa é usada para guardar derivados de petróleo sem autorização

No interior do imóvel, os investigadores do 5o DP localizaram uma espingarda e munições. Caixas e galões com o produto estavam dentro do imóvel. (foto: Divulgação)

Os policiais civis do 5o Distrito Policial localizaram uma casa, no bairro Água Branca, que era usada para guardar derivados de petróleo sem autorização da ANP (Agência Nacional de Petróleo).

O delegado Fábio Rizzo de Toledo disse que o bairro era residencial e além de não ter autorização, os policiais constataram que não havia extintor de incêndio no imóvel. Na residência, os investigadores também localizaram uma espingarda calibre 32, marca Rossi, com 19 cartuchos do mesmo calibre, sendo 17 intactos e dois deflagrados. O responsável pela arma não apresentou registro da referida arma. O proprietário da residência foi conduzido ao 5o Distrito Policial, onde foi autuado em flagrante sob acusações de posse ilegal de arma de fogo, além de crime ambiental e por manter ter em depósito ou usar produto ou substância tóxica, perigosa ou nociva à saúde humana ou ao meio ambiente, em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou nos seus regulamentos. Após prestar depoimento, o homem foi levado à carceragem, onde ficou até ser apresentado à audiência de custódia, conforme determinação de Toledo.

De acordo com o delegado, os investigadores da unidade constataram que um suspeito que residia em uma casa no bairro Água Branca, mantinha arma e produtos derivados de petróleo armazenados de forma irregular no interior do imóvel.

Diante de tais informações, solicitei ao Poder Judiciário uma ordem de busca apreensão no referido imóvel e na data de hoje policiais civis em poder da referida ordem judicial dirigiram-se até a residência, onde, primeiramente, localizaram e exibiram, a ordem de busca e apreensão”, disse Toledo.

Segundo ele, durante a revista no interior do imóvel os policiais apreenderam a espingarda e as munições.

Após vasculharem o restante do imóvel localizaram várias caixas e galões contendo óleos lubrificantes e derivados de petróleo. O acusado alegou que não possuía a respectiva autorização para manter os produtos em casa.

O suspeito foi conduzido ao 5o Distrito Policial, onde prestou depoimento. Toledo constatou que o homem não teve direito a fiança e por isso foi encaminhado à carceragem, onde ficou à disposição da Justiça.

Os peritos do IC (Instituto de Criminalística) estiveram na residência para fazer o levantamento sobre as circunstâncias em que os produtos estavam guardados. O laudo deverá ficar pronto no período de 30 dias.

 

Cristiani Azanha
[email protected]