Casal celebra bodas de ouro com arrecadação de alimentos para famílias carentes

Alcebíades e Valdeci dos Santos são conhecidos pelos gestos de ajuda ao próximo (Foto: Amanda Vieira/JP) Alcebíades e Valdeci dos Santos são conhecidos pelos gestos de ajuda ao próximo (Foto: Amanda Vieira/JP)

A comemoração das bodas de ouro do casal Alcebíades Lauro dos Santos, 69, e Valdeci Dias dos Santos, 68, ambos comerciantes aposentados, foi repleta de carinho de familiares e amigos, mas também marcada pela solidariedade. Em vez de receber presentes, o casal decidiu pedir aos convidados que doassem fraldas geriátricas e mantimentos, para serem entregues a famílias carentes da comunidade assistida pela Paróquia São Francisco Xavier, no Jardim Itapuã.

Ao todo, os 150 convidados doaram 362 unidades de fraldas, 130 kg (quilos) de arroz, 26 kg de açúcar, 25 kg de feijão, 10 kg de macarrão, 10 kg de trigo, 9 kg de sal, 65 litros de leite, 20 litros de óleo, além de outros itens de alimentação e higiene. Segundo Caroline Santos Lima, 26, neta do casal e organizadora da festa, a ideia de arrecadar donativos foi dos avós. “Eles sempre celebram os aniversários de casamento, mas desta vez, faltando um mês e meio, tiveram essa ideia”, conta.

As doações foram entregues no sábado (23), na chácara do casal, durante o jantar dos 50 anos de casamento. Alcebíades e Valdeci dos Santos são conhecidos na comunidade pelos gestos de ajuda ao próximo. “Nós já sofremos muito e hoje, temos nossas coisinhas e gostamos de ajudar as outras pessoas”, ressaltam.

Nascidos em Novo Cruzeiro, Minas Gerais, o casal namorou seis anos. Alcebíades dos Santos recorda-se que, naquela época, tinha que ir de cavalo até a casa da namorada, que também morava na zona rural de Novo Cruzeiro. “Levava mais de uma hora, porque nossas casas ficavam distantes 10 km uma da outra. A gente namorava a cada 15 dias”, conta.

O casal, que hoje tem seis filhos, nove netos e quatro bisnetos, deixou Minas Gerais em busca de melhores oportunidades no Estado de São Paulo. “Chegamos em dezembro de 1979 em Piracicaba, com alguns pertences e nossos filhos. Construí um dois cômodos de madeira, trabalhei como pedreiro. Com o tempo, construí uma casa maior, depois um sobrado onde tenho um açougue”, relata Santos.

Os donativos arrecadados durante o jantar das bodas de ouro do casal estão sendo engues nesta semana. “Nós ficamos muito felizes com as doações que recebemos e somos gratos a todos”, destaca Santos.

Eliana Teixeira