Case IH comemora a marca de 7.500 unidades na cidade

Novo modelo foi apresentado esta semana pela empresa (Claudinho Coradini/JP) Novo modelo foi apresentado esta semana pela empresa (Claudinho Coradini/JP)

A Case IH comemora 75 anos do início da colheita mecanizada. Para celebrar a trajetória da tecnologia e também a marca de 7.500 máquinas produzidas em Piracicaba a montadora de equipamentos agrícolas lançou a linha John Pearce Signature, uma edição especial de 50 unidades em homenagem ao australiano que introduziu as primeiras colhedoras no país e desenvolveu o mercado sucroalcooleiro brasileiro na década de 1970.

Nesta semana a multinacional reuniu convidados e imprensa para apresentar a edição comemorativa. Há 22 anos a Case Corp Global adquiriu a Brastoft, no Brasil, e a Austoft Austrália, passando a ser o primeiro grande fabricante de máquinas a operar no mercado mundial de colhedoras de cana.

A fábrica de Piracicaba foi inaugurada em 1997, tornando a cidade o centro global de desenvolvimento de colhedoras de cana da marca. De acordo com o gerente de marketing comercial da empresa, Diogo Melnick, na planta em Piracicaba são produzidas de 500 a 600 máquinas por ano mas a capacidade é de 2.000 unidades. Segundo ele, entre 5% a 10% da produção é voltada à exportação para países como os Estados Unidos, Ásia e outros da América Latina, como a Guatemala e Colômbia onde o processo de mecanização ainda está em 50%.

No Brasil, grande parte da produção da Case permanece no Estado de São Paulo, que concentra 85% da produção de açúcar brasileira.

Para exemplificar a capacidade de produção da planta em Piracicaba, o diretor industrial da Case, Vagner Furlan, citou que em 2007, a planta comemorou a produção da milésima unidade. “Em dez anos produzimos mil unidades, dois anos depois produzimos mais mil máquinas”, comparou.

A tecnologia Austoft desenvolvida pela Case traz benefícios sociais, ambientais e econômicos, como apontou o vice-presidente da Case para a América do Sul, Christian Gonzales. No campo ambiental, Gonzales destacou que a mecanização permite a colheita da cana crua e elimina a prática da queima. “ Isso reduz a emissão de gases do efeito estufa, o que gera benefícios ambientais e torna a atividade mais sustentável”, comentou.

HOMENAGEM

A edição especial da colhedora A8810 Single Row é uma série limitada, entretanto todas as colhedoras de cana-de-açúcar produzidas em 2019 ganham um adesivo comemorativo dos 75 anos de desenvolvimento da tecnologia Austoft. A série recebeu mais de 100 melhorias nos últimos três anos. Um dos destaques do equipamento é a redução em 15% do consumo de combustível durante a colheita.

Beto Silva