Caso de meningite no DF apresenta risco baixo de contaminação

Caso de meningite no DF apresenta risco baixo de contaminação
Fonte: Agência Brasil

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Distrito Federal divulgou relatório (com data de 1º de março) confirmando o caso de meningite em um estudante de uma escola particular em Vicente Pires, bairro próximo a Taguatinga – a segunda principal região administrativa do DF. O órgão, no entanto, descartou medidas de imunização de pessoas que tiveram contato com o paciente.

Segundo o relatório, o caso registrado foi viral, não bacteriano. Além disso, o paciente contraiu uma variedade branda de meningite, o que dispensa a necessidade de medicamentos e vacinas para quem teve contato com a vítima sete dias antes de os sintomas se manifestarem.

A secretaria informou que “até o presente momento” não há “indícios clínicos” que sugiram “necessidade de medidas de controle” e “não há recomendação de medidas quimioprofiláticas, como o uso de medicamentos”.

O relatório responde consulta da diretora pedagógica da escola, que informou sobre o diagnóstico do aluno que está internado e pediu à Secretaria de Saúde do DF esclarecimentos sobre medidas e cuidados para a meningite.

O documento, no entanto, assinala que “a meningite é considerada uma doença endêmica, por isso, espera-se a ocorrência de casos durante todo o ano”. O documento recomenda medidas como lavar e higienizar mãos e utensílios domésticos com frequência, manter os ambientes bem ventilados e evitar aglomerações e ambientes fechados.

Conforme o documento da Secretaria de Saúde do DF, o calendário de imunização estabelecido pelo Ministério da Saúde prevê diferentes vacinas – como a Pentavalente, a BCG, a Pneumocócica 10 valente, a Meningocócica C conjugada e Tríplice viral – que protegem contra diversos tipos de meningite.

Caso de meningite no DF apresenta risco baixo de contaminação