Casos de dengue aumentam procura por unidades de saúde

Pacientes esperavam a mais de quatro horas no Vila Cristina (Amanda Vieira/JP)

Os casos suspeitos de dengue têm aumentado a procura pelas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) em Piracicaba. Nos últimos dias, aumentaram as queixas de pacientes que esperam por horas para atendimentos nas unidades. Nesta terça-feira (23), a dona de casa Dagmar Barbosa, aguardava há quatro horas por atendimento na UBS da Vila Rezende. Segundo ela, havia pessoas que estavam no local desde às 14h, sendo que ela entrou em contato com a redação às 20h e aguardava pela consulta desde as 16h.

Na última segunda-feira (22), durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores, o vereador Paulo Campos (PSD) usou a tribuna para cobrar da prefeitura a contratação de médicos para atuarem nas UPAs. O parlamentar contou que no sábado (13), visitou a UPA da Vila Cristina e presenciou um “caos” no atendimento. “Os dois médicos que estavam lá atendendo estavam realmente trabalhando, porém, a quantidade de pessoas era muito grande”, disse.

Paulo Campos disse que conversou com uma médica e ela relatou que, em seis horas, havia atendido 50 pacientes. “Pessoas chegaram às 10h e já eram 16h e não tinham sido atendidas. Isso fica evidente que há a falta de médicos, sobretudo nessa UPA”, afirmou o parlamentar. Campos disse que encaminhou um ofício ao secretário de Saúde, Pedro Mello, relatando a atual situação das unidades.

Com relação a contratação de médicos, o presidente da Câmara, Gilmar Rotta (MDB), disse que conversou com o secretário de saúde e este reforçou que está mandando para o Legislativo um projeto de lei que prevê a contratação de médicos e profissionais da educação.

Sobre a demora no atendimento nas UPAs, citada pelo vereador Paulo Campos e a dona de casa Dagmar Barbosa, a assessoria de imprensa da Pasta informou que a demanda de pacientes está alta por conta das doenças respiratórias que estão começando a aparecer, além das suspeitas de dengue.

Comunidades recebem força-tarefa contra a dengue

A Secretaria de Saúde de Piracicaba vai realizar uma força-tarefa nas comunidades da cidade para combater a proliferação do Aedes aegypti – mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. De acordo com os dados divulgados ontem pela Pasta, até a última quinta-feira (18), a cidade registrava 341 casos positivos de dengue.
Segundo a assessoria de imprensa da secretaria, as favelas receberão a ação por serem locais com habitações populares precariamente construídas e desprovidas de infraestruturas como rede de esgoto, de abastecimento de água, de energia, e coleta de lixo.

Os núcleos são apontados como locais densamente povoados e caracterizados por degradação urbana, elevadas taxas de pobreza e desemprego. As favelas, segundo a Pasta, apresentam taxas de doenças devido a desnutrição e falta de cuidados básicos de saúde. “Portanto, são áreas que devem sofrer atenção especial por parte da prefeitura numa tentativa de melhorar a qualidade de vida dos moradores desses locais”, informou em nota.

Durante a ação, haverá a retirada de materiais inservíveis. O trabalho se estenderá com aulas e treinamentos, através de professores da Educação, Saúde e Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente) sobre assuntos pertinentes de acordo com a realidade de cada núcleo.

Os moradores receberão visita com orientação educativa e distribuição de folhetos.
Equipes farão a desratização das residências e dos córregos que necessitarem do controle de roedores. A população também receberá orientação quanto a aplicação de larvicida e retirada de criadouros.

Portelinha recebe ação no dia 5 de junho (Foto: Claudinho Coradini/JP)
Portelinha recebe ação no dia 5 de junho (Foto: Claudinho Coradini/JP)

CRONOGRAMA

A força-tarefa contra o mosquito transmissor da dengue terá início na próxima segunda-feira (29). De acordo com o cronograma da saúde, o trabalho começa na Comunidade Frederico e Bosques do Lenheiro. Na Portelinha, a ação será feita no dia 5 de junho.

No dia 3 de julho será a vez da comunidade do Jardim Vitória. No Itapuã II – Sabino a força-tarefa acontece no dia 7 de agosto, no Boa Esperança será no dia 4 de setembro, Algodoal em 2 de outubro, Parque Olanda I, II e II será em novembro, no dia 4. Por fim, o bairro Canta Galo receberá as equipes no dia 2 de dezembro, encerrando o cronograma.

Em todas as ações haverá a retirada de materiais inservíveis que possam servir como criadouro do mosquito.

Beto Silva