Casvi aponta que denúncias têm aumentado nos últimos meses

Ações discriminatórias ocorrem principalmente nas escolas e no ambiente familiar, de acordo com levantamento. (foto: Claudinho Coradini/JP)

A maioria das denúncias de casos de LGBTIfobia recebidas pelo Casvi (Centro de Apoio e Solidariedade a Vida) de Piracicaba ocorre nos ambientes escolar e familiar. De acordo com os números fornecidos pela entidade, a média de queixas recebidas nos plantões é de dez a 12 casos por mês.

Com o objetivo de diminuir as estatísticas dos casos ocorridos nas escolas, foi realizado ontem em Piracicaba uma capacitação com profissionais da área de educação.

O evento ‘Diversidade Sexual e os Direitos LGBTI- A Redução da LGBTIFobia na Educação’ reuniu – das 8h30 às 17h30 profissionais, autoridades e estudiosos do setor.

O coordenador do Casvi e presidente do Conselho Municipal LGBT, Anselmo Figieiredo , avaliou como muito positiva e acima das expectativas dos organizadores. “Foi surrpreendente perceber que há um grupo de diretores e diretoras que se referiram às ações do Casvi desenvolvidas as escolas e outras que querem levar o trabalho”, afirmou.

Com relação às denúncias recebidas pelo Casvi, Fiqueiredo disse que o número vem aumentando. “Essas denúncias vêm aumentando depois da última eleição presidencial, a gente percebe a intolerância está voltando a crescer, há um retrocesso nos direitos humanos”, apontou.

No ambiente escolar em Piracicaba, o coordenador citou casos de professoras lésbicas que foram humilhadas em escolas e alunos e alunas que tiveram direitos violados. “Temos essas denúncias, que chegam no plantão e muitas vezes a Diretoria de Ensino procura a ONG para mediar os conflitos e desenvoler um projeto naquela escola”, afirmou.

“A gente não culpabiliza a escola ou diretora porque sabemos que isso é da sociedade, a escola é um microcosmo da sociedade e acaba acontecendo preconceto e bullying por parte do aluno mesmo”, afirmou.

FAMÍLIA

Neste ano a Parada LGBT em Piracicaba vai abordar o tema “Prefiro ter um filho amando do que um filho armado”, o evento vai acontecer em 10 de novembro.

Beto Silva
[email protected]