Católicos celebram hoje missas de lava-pés

A Semana Santa para os católicos é o principal momento para renovação de fé, pois remete à vida, paixão e morte de Jesus Cristo. Após a bênção dos Santos Óleos, ontem à noite, o ápice das celebrações da igreja nesta semana começa hoje, com a missa de lava-pés e instituição da eucaristia . Foi a partir da eucaristia que Jesus fundou as bases da igreja, a comunhão e os ministérios sacerdotais, além de reforçar que os cristãos devem servir a sua fé e ao próximo. Missas acontecem em todas as paróquias. O bispo dom Fernando Mason preside a celebração das 20h de hoje na catedral de Santo Antônio.
 
Para o padre Sebastião Luiz de Souza, responsável pela paróquia Menino Jesus de Praga, no bairro Jaraguá, é hoje que se começa a grande celebração da fé católica. “Este é o memorial da vida de Jesus que começa com o surgimento da igreja, com a instituição da eucaristia e o lava-pés na Quinta-Feira Santa, segue na Sexta-Feira Santa com a paixão e morte de Cristo e se encerra com a Vigília Pascal no sábado. Isso que acontece todos os anos não é um teatro. É o momento em que vemos acontecer de novo a paixão, morte na cruz e a ressurreição do senhor. Por isso, nesta época, um maior número de fiéis participa das solenidades da igreja”, disse o sacerdote.
 
Padre Sebastião explica que esta celebração acontece em dois momentos, com o lava-pés, “onde Jesus mostra que a razão do nosso existir é o serviço a Deus e ao próximo, por isso ele deu o exemplo, como senhor, em lavar os pés dos apóstolos” e depois com a liturgia eucarística “que mostra as três dimensões da eucaristia “que é a memória de Cristo, a comunhão com os irmãos e o início da caminhada em missão”. “Aqui é o início de tudo, onde nasce a Igreja, a eucaristia e o ministério sacerdotal, que são o coração da igreja católica. Além disso, mostra que não somos uma igreja fechada em si mesma, mas sim aberta para a todas as pessoas”, afirmou padre Sebastião.
 
“Este é apenas o início da nossa renovação da fé. O sacerdote faz apenas uma despedida e os fiéis vão para casa em silêncio, em oração, para retornarem na sexta-feira, às 15h, para solenidade de paixão e morte de Jesus que também se encerra numa grande pausa até a vigília pascal, quando se recebe a notícia que o senhor ressuscitou”, explicou. De acordo com padre Sebastião, o tríduo pascal não é momento de tristeza, mas demonstra o amor “de uma pessoa que deu sua vida por nós”.