CCZ confirma sete casos de morcego com raiva na área urbana

CCZ Número de morcegos com raiva é considerado dentro do normal pelo CCZ. (Foto: Arquivo /JP)

O CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) informou ontem que já foram encontrados sete morcegos com raiva na área urbana de Piracicaba em 2018. Apesar dos números serem considerados “dentro da média” pelo veterinário do CCZ, Paulo Lara, está próximo de atingir as ocorrências registradas em 2017, quando ocorreram oito casos entre janeiro e dezembro. Para ajudar no combate à doença na cidade, a prefeitura já divulgou que fará campanha de vacinação na área urbana a partir do dia 15 de setembro.

Segundo o levantamento da prefeitura, dos 190 morcegos coletados e enviados para análise em laboratório na capital paulista, sete estavam com raiva e foram encontrados nos seguintes bairros: Jardim Europa, Vila Rezende, Javary I, Caxambu, Castelinho, Centro e Jardim Monumento; do total, apenas um era frugívoro e os demais, insetívoros. Em 2017, os morcegos doentes foram coletados nos bairros Parque Orlanda (2), Glebas California, Vila Fátima, Algodoal, Bairro Alto, Jupiá e Centro.

De acordo com Lara, é importante observar que os morcegos doentes não estavam restritos a uma região específica, mas espalhados por toda a cidade. “Todo ano registramos casos de morcegos com raiva, às vezes mais, outras vezes menos, portanto, este número ainda não é considerado anormal. O que sempre temos feito é alertar a população para que os animais estejam vacinados e que, em caso de contato humano com o animal, é necessário fazer contato com o CCZ para coleta do animal e também a ida até um posto de saúde para realizar exames e saber da necessidade de se tomar vacina contra a doença”, declarou o veterinário.

VACINAÇÃO – entre os dias 15 de setembro e 10 de novembro, sempre aos sábados, a prefeitura realizará a campanha anual de vacinação antirrábica na área urbana com a expectativa de imunizar 29 mil animais, entre cães e gatos. Para isso, estarão abertos 162 postos de vacinação, dez a mais que no ano passado, quando foram vacinados pouco mais de 28 mil animais.

“O crescimento no número de doses aplicadas é normal de um ano para o outro, porém, este ano resolvemos colocar 10 postos de vacinação a mais devido ao crescimento habitacional da cidade e, consequentemente, o de animais também. Em 2017, foram construídos novos residenciais e loteamentos e, neste ano, muitos deles já estão habitados, por isso vamos levar as doses nestes locais e facilitar a adesão a campanha e garantir a saúde de cães e gatos”, concluiu Lara. Na zona rural, a Saúde imunizou 10.071 animais sendo 8.556 cães e 1.515 gatos.

(Felipe Poleti)