Cena Criança traz espetáculos teatrais no Sesc

O Sesc Piracicaba organiza, nos sábados 02, 09, 16 e 23 de fevereiro, às 16h, o Cena Criança, com apresentações teatrais que visam estimular a criatividade, a imaginação e a educação de forma divertida. As apresentações acontecem no teatro e a entrada é grátis, mas é necessário chegar com uma hora de antecedência para retirada dos ingressos.

Entre os espetáculos previstos na programação do evento está o teatro “Simbad, o Navegante”, da Cia Circo Mínimo, que é apresentado neste sábado (2). Adaptada do livro “Mil e uma noites”, a trama é levada ao público por dois contadores de histórias, que narram as aventuras de Simbad, um homem que desbravou o mundo em busca de riquezas e desafios. O palco é invadido por acrobacias áreas e performances circenses. A classificação é livre.

Para os próximos sábados do mês, a agenda do Cena Criança inclui também a peça teatral “Mundolino”, no dia 9, o espetáculo “Buraco no Muro”, no dia 16 e o “Nhanderuvuçu, o menino trovão”, que está previsto para o dia 23 de fevereiro.

“Mundolino”, da Cia Dita Cuja, viaja nas aventuras de Lino, um boneco que vive em uma loja de brinquedos e brinca com os outros moradores do local, mesmo os achando meio desanimados. Um dia ele conhece a Lua e se tornam grandes amigos, até que um dia a Lua desaparece e Lino tem que lidar com a saudade. Já o teatro “Buraco no Muro”, do Laboratório Maracujá, conta a história de três crianças vidradas em internet que começam a receber mensagens em seus celulares sobre um misterioso tesouro perdido.

O último espetáculo, idealizado pelo Grupo Manuí, é baseado em lendas indígenas sobre a criação do mundo e acompanha a saga de Nhanderuvuço, o primeiro ser humano existente na Terra. Nascido do sonho de Tupã, o menino trovão era muito leve e não conseguia ficar no chão, então o garoto recebe a orientação do criador para buscar os nandejaras, professores que o ensinam a viver na terra. A história é baseada no livro “A criação do mundo segundo os guaranis – A Voz do Trovão”, de Kaká Wera.

(da Redação)