Censura é tema do Encontros com a Literatura

Doutora em Teoria Literária Josiane Maria de Souza media encontro nesta noite (Amanda Vieira/JP)

Escritoras censuradas. Este é o tema da quarta reunião do ano do Encontros com a Literatura — Mulheres que Leem São Perigosas, que acontece hoje, às 19h, no Sesc. O livro Eu e o Governador, de Adelaide Carraro, e As Vedettes, de Sandra Rios são as obras de base para o evento, mediado pela doutora em Teoria Literária Josiane Maria de Souza. O objetivo das reuniões é debater textos literários de autoras nacionais e estrangeiras com educadores, historiadores, artistas e demais interessados. A entrada é gratuita.

De acordo com Josiane, o tema desta quarta-feira foi escolhido pelos participantes do último encontro. “Com o auxílio dessas duas autoras da década de 70, que foram lidas e proibidas, vamos falar de seus livros que circulavam clandestinos e escondidos e sempre foram chamados de pornográficos. Mas é importante ressaltar que era tempo de ditadura e durante o acontecimento
elas sofreram com uma censura muito grande”, afirmou. Ainda segundo a mediadora, a partir desses dois livros será discutido a questão da censura, qual era o critério e como se dava. “Usarei o livro Repressão e Resistência: Censura a Livros na Ditadura Militar, de Sandra Reimão, para ser apoio nos pareceres de censores. Também com eles, discutirei os dados de quantos livros foram censurados, o parecer da censura. Sempre é importante retratarmos sobre esse assunto de conhecimento público. É um evento aberto a todo mundo e com base nessas autoras veremos
o porquê elas foram censuradas, uma vez que a maior parte dos livros que foram censurados era escrita por mulheres e isso vem de encontro com o nosso projeto Mulheres que leem são perigosas”, ressaltou.

OBRAS – Publicado em 1980, As Vedettes retrata a época do Teatro Rebolado, com suas fofocas, intrigas por trás dos bastidores, fracassos e sucessos. Eu e o Governador trata sobre Adelaide, menina órfã que, tendo perdido o pai em uma briga de galo, cedo amadurece no contato com funcionários e autoridades em sua peregrinação por um emprego público. Ela perde a saúde, a
inocência, tenta o suicídio, busca a elevação social pela única via que conhece: o favor e o apadrinhamento. Repressão e Resistência aborda a censura oficial à cultura e às artes.

SERVIÇO — Encontros com a Literatura. Hoje, às 19h, no Sesc (rua Ipiranga, 155, Centro). Classificação: livre. Entrada gratuita. Informações: (19) 3437-9292.