Chegamos aos 118 anos!

É um privilégio de poucos celebrar 118 anos. Hoje, dia 4 de agosto já publicamos 40.907 edições ininterruptas junto ao leitor piracicabano, no momento em que toda mídia mundial passa por um processo de transformação e questionamento sobre o seu papel no mundo de hoje.

Há quatro gerações, o JP está no comando da família Losso e segundo o diretor do periódico, Marcelo Batuíra, “desde 1900 já havia no espírito daqueles que criaram as primeiras edições, a noção acertada de que a meta de um jornal não era imprimir uma folha de papel e sair pela cidade distribuindo, mas ao contrário disso, era produzir informação. E desde aquela época havia uma conscientização da importância de que essa informação fosse genuína, muito antes do conceito hoje largamente difundido das ’fake news’. Os jornalistas do século passado nunca sonharam com o que hoje chamamos de internet, mas já eram conscientes do potencial de dano que uma falsa notícia poderia causar à comunidade”.

O primeiro editorial do JP foi publicado no dia 4 de agosto de 1900 e foi escrito por Antonio Pinto de Almeida Ferraz. Em suas palavras ele dizia: ‘o Jornal de Piracicaba não é uma folha política. É um órgão de interesses locais , tendo principalmente em mira o progresso da cidade… Isso, entretanto, não significa que abdique o direito de emitir opinião de atos e fatos da vida política, que porventura se entolhem (figurem) interessantes‘.

E foi com esse direcionamento que o Jornal de Piracicaba sempre se pautou: a busca de informações, sempre duplamente verificada com o objetivo de, ao publicá-la, tenha credibilidade. A incessante busca pela verdade, no espírito da liberdade de expressão possibilitaram ao JP conquistar seus leitores.

Para chegar até aqui, também foi preciso acompanhar as mudanças e as transformações do tempo. Reinventamos-nos a cada ano, para manter vivo em nossos leitores, o prazer da leitura.
O que antes era algo impensável hoje é realidade. O leitores podem ter acesso ao jornal, por meio do papel impresso, bem como por meio de acessos digitais, inclusive pelos aplicativos móveis. Com isso, o JP se tornou um leque de possibilidades e de acesso.

Esse ano, também comemoramos os dez anos da filha caçula do Jornal de Piracicaba: a Revista Arraso, que chegou trazendo um novo estilo de jornalismo tão importante quanto o produzido pelo jornalismo diário. Também cuidadosamente criada, com a certeza de levar ao leitor reportagens diversas e que compõem outras realidades e expectativas.

E assim, o Jornal de Piracicaba chega a sua maturidade após os 100 anos, ou seja, completa 18 anos somados ao centenário, com a certeza que nosso destino e nossa missão seguem trilhando o caminho do leitor. Como dizia Antonio Pinto de Almeida Ferraz, que nossos leitores nos ajudem a fazer um melhor jornal, a cada dia pelos próximos anos!

 

(Fernanda Moraes)