Chuva e ventos derrubam 15 árvores em Piracicaba

queda de árvores Chuva e vento derrubaram árvores nessa quinta-feira (Crédito: Claudinho Coradini/JP)

Acompanhada de ventos de até 65 quilômetros por hora, os 25,5 mm (milímetros) da chuva dessa quinta-feira (7), provocaram quedas de árvores em Piracicaba. Entre os transtornos causados, destacaram-se quedas de galhos em veículos, ruas interditadas em diversos pontos da cidade, congestionamentos em alguns cruzamentos, principalmente pela falta de energia em semáforos. Cinco árvores caíram sobre carros. Até a tarde de hoje, a Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente) registrou 15 ocorrências sem vítimas.

De acordo com informações da Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes), os semáforos que apresentaram irregularidades com a chuva foram os das avenidas Independência com a rua XV de Novembro, Saldanha Marinho, Armando de Salles Oliveira com Torquato da Silva Leitão, Rui Barbosa, Dona Francisca, Dr. Paulo de Moraes com a Jaime Pereira, Limeira e Armando de Salles Oliveira com a rua Regente Feijó. Desde às 14h dessa terça-feira, todos já estavam funcionando normalmente.

Segundo a assessoria de imprensa da Sedema, as equipes da arborização da Secretaria iniciaram os trabalhos logo após o temporal, priorizando o atendimento emergencial. As ações foram realizadas com apoio e suporte das equipes da Defesa Civil, CPFL, Corpo de Bombeiros, Semuttran e Sema (Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento).

As ocorrências de quedas de árvores ou galhos aconteceram em diferentes localidades. Segundo Odair Mello, secretário-executivo da Defesa Civil, os bairros com registros de quedas foram Nova Piracicaba, Engenho Central, Vila Rezende, Mario Dedini, São Dimas, Bairro Alto. “Foram 25 minutos de chuva, porém o que prejudica são as rajadas de ventos”, enfatiza.

Nessa sexta-feira (8), tem sequência o atendimento das solicitações, dando prioridade aos casos mais urgentes. Após a finalização, a equipe de Arborização da Sedema deverá fazer um trabalho de avaliação técnica mais apurada das espécies que sofreram danos. Quanto à vazão do rio Piracicaba, às 12h40 de ontem, o nível atingiu 2,63 metros. O rio Piracicaba extravasa quando atinge 4,70 metros. Contudo, a Defesa Civil continua monitorando a situação e acompanhando os pontos mais críticos, com risco de alagamentos.

 

As pessoas que vivem em áreas de risco e se sentirem em perigo podem ligar para os telefones: 199 (Defesa Civil) e 153 (Guarda Civil), Corpo de Bombeiros (193) e solicitar apoio.

(Eliana Teixeira)