Chuva prejudica atendimento na Central de Fisioterapia

chuva Chuva de ontem alagou setores do prédio. ( Foto: Claudinho Coradini /JP)

Foram apenas cinco milímetros de chuva entre 7h e 10h de ontem, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Precipitação suficiente para expor problemas de infiltração na Central de Fisioterapia da Prefeitura, na avenida Piracicamirim. A rampa de acesso ficou com o piso molhado, inclusive com a formação de poças no ponto próximo à recepção. A situação evidenciou outros problemas, como o não funcionamento do elevador — alternativa à rampa —, um bebedouro quebrado, um dos três banheiros femininos inativo por falta de água.

Inaugurada em agosto de 2012, a central é um importante equipamento de saúde da Prefeitura que atendeu 32 mil pessoas pelo SUS (Sistema Único de Saúde), em 2017. A pasta informou que o setor responsável pela manutenção de suas unidades “trabalha para equacionar os problemas estruturais do prédio”.

Sobre as infiltrações, o órgão informou que a cobertura é de policarbonato que, como o tempo, resseca e trinca, o que acarreta em infiltrações. “Já está em andamento o orçamento para execução desse serviço”, garante a pasta. Sobre o elevador inativo, o órgão disse que já está cotando o preço para o conserto do equipamento.

O prazo para resolver os problemas não foi informado com exatidão. A Secretaria informou que espera resolvê-los “o mais rápido possível, dentro dos trâmites licitatórios”. O conserto do bebedouro deve acontecer amanhã (19). “O banheiro feminino está interditado há dois dias devido ao problema do bebedouro, porque o registro de água é o mesmo para ambos. Arrumando o registro, ambos voltam a funcionar”, assegura a pasta.

(Rodrigo Guadagnim)