Cidade já supera números de homicídios de 2017

CRIMES Crimes contra o patrimônio tiveram queda no período. ( foto: Arquivo/JP)

Piracicaba registrou 17 casos de homicídio no período de janeiro a setembro de 2018, segundo a estatística da SSP (Secretaria de Estado de Segurança Pública). O número dos casos representa o total dos registros do ano passado. Já as ocorrências relacionadas à tentativa de homicídio apresentaram queda de 13%, com 29 casos, ante os 23 deste ano no mesmo período.

O delegado Seccional Américo Sidnei Rissato disse que nem sempre a polícia tem condições de evitar casos relacionados aos homicídios, pois muitas vezes são relacionados a acertos de contas. “Nem sempre a polícia pode estar o tempo todo em todos os lugares. No entanto, a Polícia Civil tem realizado operações e investigações para coibir outros crimes que estão relacionados com os homicídios, como o tráfico de drogas, por exemplo”, afirmou Rissato.

Recentemente, o comandante do 10º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar do Interior), tenente-coronel Willians de Cerqueira Leite Martins afirmou que a Polícia Militar tem dado atenção a prisão de procurados e armas e contínua repressão ao tráfico de drogas. O comandante orientou ainda que a população pode colaborar denunciando crimes pelo disque-denúncia por meio do telefone 181 e para emergências utiliza-se o fone 190 da Polícia Militar.

CRIMES — Outros crimes apresentaram queda, de acordo com a estatística. Entre eles, está o furto de veículo, que teve a diminuição de 31,57%. Foram 1.118 ocorrências em 2017, ante as 765 neste ano. Roubos de veículo registraram 202 em 2018 ante 239 no período anterior, representam queda de 15,4%.

No mês passado, o diretor do Deinter-9 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior), Antonio Luis Tuckumantel já tinha destacado que as ações conjuntas das polícias Civil e Militar da região de Piracicaba tem elevado a região no ranking de produtividade de todos os Departamentos do Estado de São Paulo. O Deinter-9 tem mantido as operações junto com outras seccionais do Deinter-9, juntamente com as delegacias especializadas.

(Cristiani Azanha)