Cidade lidera ranking de acidentes com colisão em postes de eletricidade

Grande parte dos acidentes provocam a interrupção de energia nas residências (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Piracicaba lidera o ranking de acidentes com postes na região segundo dados divulgados pela CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz). De acordo com os números da concessionária, foram 220 ocorrências em 2018, uma redução de 14,4% frente a 2017, quando os acidentes somaram 257.

No mês em que se celebra a campanha de segurança no trânsito intitulada ‘Maio Amarelo’, o levantamento realizado pela CPFL Paulista, distribuidora que atende 4,6 milhões de consumidores em 234 municípios do interior paulista, mostra que foram registradas 436 ocorrências de falta de energia em 2018 em função de colisões contra postes da rede elétrica na região de Piracicaba.

O número representa uma redução de 12,3% em relação aos 497 casos de interrupção do fornecimento pelo mesmo fator em 2017.

De acordo com o levantamento, Piracicaba, com 397,3 mil habitantes, lidera o ranking.

Em segundo lugar vem Americana, com 71 casos, aumento de 6% em relação ao ano anterior, e Santa Bárbara D’Oeste, com 56 ocorrências, ligeira queda de 2%.

Em média, cada ocorrência na região de Piracicaba interrompe o fornecimento de energia para 57 clientes, com o tempo médio de restabelecimento de três horas.

O tempo de retomada do serviço se explica pelo fato de que as colisões contra os postes exigem, muitas vezes, que a CPFL Paulista reconstrua a rede elétrica no local, com substituição do poste atingido, conforme a dimensão do dano.

Dependendo da gravidade do acidente, as equipes de campo precisam também aguardar a realização dos trabalhos da perícia policial, quando o acidente deixa vítimas.

Para a concessionária, a imprudência, a negligência e a desatenção estão entre as causas das colisões. No início do ano, o secretário de Trânsito e Transportes de Piracicaba, Jorge Akira, acrescentou o consumo de álcool à lista das causas da colisões. Ele destacou que a maioria dos acidentes ocorre aos finais de semana.

Na época, o secretário informou que os postes de sinalização vertical, de propriedade da prefeitura também são alvo de colisões.

Beto Silva