Cidade tem 3ª morte por dengue

Informação foi divulgada pela prefeitura; ações de combate ao Aedes aegypti acontecem pelo município. (Foto: Claudinho Coradini/JP)

A Secretaria de Saúde de Piracicaba confirmou ontem a terceira morte por dengue registrada neste ano na cidade. Segundo a pasta, a vítima da doença é um homem com idade entre 60 e 69 anos, morador em um bairro da Zona Oeste do município. Ainda de acordo com a Secretaria, a cidade registra 3.488 casos positivos da doença, segundo dados apurados até a última terça-feira (5).

Com o número de casos aumentando a prefeitura tem intensificado as ações de combate e – principalmente – de conscientização da população quanto as formas de evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela.

A administração deu início à campanha com o lema “Quem cria o mosquito é você”, com o objetivo de despertar nas pessoas a responsabilidade em manter a casa limpa e sem criadouros do mosquito.

No sábado, 26 de outubro, foi realizado o Dia D de combate a dengue na cidade com a realização de arrastões. Neste dia, a Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente) participou das atividades que aconteceram paralelamente ao 7° Arrastão Ecológico.

Durante o evento, foram retirados resíduos do rio Piracicaba com a ajuda de barcos. Por terra, voluntários percorreram a Avenida Cruzeiro do Sul fazendo a limpeza do local.

O evento foi criado pela Aperp (Associação Piracicabana de Pesca Esportiva) e tem o apoio da Sedema, que fez atividades lúdicas, distribuição de folhetos e orientações sobre a importância da conscientização e preservação do rio Piracicaba, além do descarte consciente de resíduos.

A equipe de NEA (Núcleo de Educação Ambiental) participou também do recolhimento de materiais nos locais passíveis de focos de infestação do Aedes aegypti.

O Dia D de Combate à Dengue encerrou o trabalho que vários setores da Sedema desenvolveram ao longo do mês.

Durante todo o mês, a equipe do NEA inseriu uma breve orientação para que professores, monitores, responsáveis e alunos sejam multiplicadores das informações sobre as formas de controle e combate ao mosquito da dengue e o combate aos focos de proliferação dentro das residências.

Beto Silva

[email protected]