,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Makro Atacadista reinaugurou loja ontem
  • Convenção confirma reposição para trabalhadores do comércio
  • Semuttran licita primeira etapa de projeto com dinheiro de multas

Em reunião, taxistas cobram providências da prefeitura sobre Uber
Fernando Jacomini
20/03/2017 11h24
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 

Representantes da categoria de taxistas de Piracicaba se reuniram na manhã de sábado (18) no auditório do Sest Senat para a reivindicação de melhorias junto à prefeitura dos serviços prestados e para cobrar providências com relação ao Uber.

Cerca de 100 motoristas e auxiliares estiveram no evento mediado pelo presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Piracicaba, Jorge Luiz de Paula e pelo advogado Luciano Masson.

Para a apresentação de demandas, cada participante teve o direito de uso da palavra por dois minutos. 

uber.jpg

Encontro foi realizado na manhã de sábado no auditório do Sest Senat. (Foto: M. Germano/JP)

Sobre a regulamentação do Uber, o secretário de Trânsito e Transportes de Piracicaba, Jorge Akira, informou ao Jornal de Piracicaba que isso deve acontecer nos próximos 30 dias.

“Estamos preparando um decreto para regulamentar e poder fiscalizar o serviço. Nós vamos pedir para os motoristas da empresa se cadastrarem, para sabermos quem são, quantos são”, explicou.

Segundo o secretário da Pasta, hoje há cerca de 350 motoristas da empresa na cidade.

Para o taxista Pedro Bonfim, a chegada do Uber atrapalhou os serviços.

“Só é bom para o cidadão que vai solicitar o carro e para o administrador da Uber.” 

Bonfim é a favor da regulamentação, já que, segundo ele, haverá maior controle no valor cobrado pelos motoristas da empresa.

Outro pedido da categoria foi a retirada da obrigatoriedade do uso de faixa de identificação nos carros, pois, segundo os taxistas, o adesivo faz com que os passageiros deixem de andar de táxi.

“Ao invés de pedir algo mais discreto, [a prefeitura] obrigou a usar uma faixa que chama muito a atenção, então muitas pessoas que querem chegar aos lugares com discrição estão deixando de usar o serviço”, comentou Paulo Todesco, que tirou a identificação de seu carro há dois meses.

No entanto, Jorge Akira explicou que não há mais obrigatoriedade do uso das faixas.

“Nós fizemos essa proposta na última reunião da prefeitura com o sindicato e agora os taxistas precisam apenas usar o luminoso, até mesmo para facilitar que os passageiros saibam quem é taxista ou não."

Questionado da ausência de um representante do Executivo na assembleia, Akira afirmou que em nenhum momento houve confirmação de presença.

“Na verdade já tínhamos discutido antes com o sindicato e as propostas nossas estavam lá.”

UBER — Operando desde 03 de fevereiro na cidade, a Uber informou na época ao JP que “é completamente legal no Brasil”, citando a Lei Federal 12.587/2012, de Política Nacional de Mobilidade Urbana, que diz que a natureza do serviço de transporte pode ser pública ou privada. Desde o começo das operações, não houve nenhum tipo de fiscalização da prefeitura ao serviço.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar