,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • 'Justin Bieber do Vidigal' irá desfilar no SPFW
  • Sucesso nos EUA e indicada para 10 Emmys, 'This Is Us', chega ao Brasi
  • Temer cancela indicação de Fernanda Farah à diretoria da Ancine

Construtora deve reduzir velocidade no trecho em duplicação da SP-304
Felipe Ferreira
20/04/2017 12h01
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
269.jpg

Medida visa diminuir risco a operários que atuam no local e condutores (Foto: M. Germano/JP)

A empresa responsável pela duplicação da rodovia Geraldo de Barros (SP-304), entre Piracicaba e São Pedro, pretende reduzir em 10 km/h os limites de velocidade no trecho.

Assim, as máximas no local serão fixadas entre 70 e 80 km/h.

A rodovia também deve receber lombadas em locais que for constatado abuso na velocidade.

Após a conclusão da duplicação os obstáculos serão removidos e novos índices de velocidade serão implementados.

A justificativa da empresa é que a alta velocidade coloca em risco a integridade dos condutores e dos operários que trabalham no local.

A informação foi transmitida pelo engenheiro civil da Conter Construções, Alencar José da Silva, gerente da obra de duplicação da rodovia ontem, durante a 1ª sessão da Comissão Fiscalizadora da Obra da SP-304, realizada na Câmara de Vereadores de Águas de São Pedro.

O gerente do projeto avalia como ‘arriscado’ deixar o tráfego acima de 80 km/h ao longo dos 10 km de extensão do canteiro de obras.

Para minimizar o perigo a empresa deve instalar nos próximos dias a sinalização com os novos limites de velocidade, o que já foi acordado com o DER (Departamento de Estradas de Rodagens).

Nos locais em que a sinalização atual indica 90 km/h, o limite passará para 80 km/h.

Onde a máxima é de 80 km/h, haverá redução para 70 km/h.

“Fizemos estudos e consideramos perigosa qualquer velocidade acima de 80 km/h. Porém, se baixarmos essa velocidade para menos de 60 km/h, surgirá um outro complicador que será a formação de congestionamentos. Assim, entendemos que essa equação pode ser resolvida com a limitação de uma velocidade variando entre 70 km/h e 80km/h”, afirmou Silva, que ressaltou que a mudança vai perdurar apenas durante a obra.

O engenheiro disse que nos locais onde houver abuso da velocidade e desrespeito à sinalização, a Conter vai construir lombadas.

“Os dispositivos deverão respeitar um padrão, nem muito altos nem longos, pois isso poderia danificar os veículos e causar acidentes”, disse.

De acordo com o gerente, até o momento está descartado o esquema ‘pare e siga’, no qual o tráfego fica bloqueado por determinado período em um dos sentidos da via para a realização de serviços no pavimento.

“O transtorno é muito grande, principalmente tratando-se de uma rodovia tão movimentada como esta. Existem outros meios de trabalhar sem que o ‘pare e siga’ seja necessário”, informou.

Silva confirmou a conclusão da obra dentro do prazo de 12 meses, e não descartou a contratação de mão de obra adicional, a ser somada aos 150 funcionários em serviço atualmente.

COMISSÃO — A reunião foi presidida pelo vereador Nelinho Noronha (PT), presidente da Câmara de Águas de São Pedro, e contou com a participação de membros do movimento Ocupe a Pista, Comissão Intermunicipal de Fiscalização, vereadores de Piracicaba, Águas de São Pedro, São Pedro e Charqueada, assim como representantes da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

“Destaco a transparência transmitida da Conter durante a reunião. Tratase de uma empresa idônea, que não possui pendências, o que nos deixa satisfeitos e seguros que dentro de um ano teremos esta rodovia, enfim, duplicada”, afirmou Paulo Campos (PSD), vereador de Piracicaba.

 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar