,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Construção civil perde 1.199 vagas em um ano
  • Fundo de Segurança entrega reforma do Plantão Policial
  • Uniodonto realiza Congresso Odontológico

Onça morre atropelada na rodovia que liga Piracicaba a Rio Claro
Fernando Jacomini
19/05/2017 15h40
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Untitled-1.jpg

Onça era uma fêmea saudável com cerca de dois anos. (Foto: Divulgação)

Uma onça parda foi encontrada morta, na noite de terça-feira (16), em trecho a cerca de 300 metros da rotatória da entrada da cidade na rodovia Fausto Santomauro (SP-127) — que liga Piracicaba a Rio Claro. O animal foi recolhido por um motorista que trafegava pelo local e levado ao Zoológico Municipal.
 
As imagens foram divulgadas na quarta-feira por Katia Ferraz, professora e pesquisadora do Departamento de Ciências Florestais da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz), que informou que o felino atropelado tratava-se de uma fêmea saudável de cerca de dois anos e com peso de 23,7 quilos.
 
Depois de ter analisado o local do atropelamento, a bióloga disse que a onça teria atravessado a rodovia para ir em direção ao Zoológico.
 
“O estômago dela estava vazio e ela provavelmente foi atraída pelo cheiro de outros bichos e pela própria mata que fica ali por perto”, relatou.
 
Para ela, é grande a probabilidade de o felino ser o mesmo que foi registrado em imagens que mostravam ele passando em frente a um condomínio fechado — caso mostrado na edição de 8 de abril do JP.
 
“É muito triste ver que tem aumentado o número de atropelamento de animais nas rodovias. Pela coloração da pelagem, tamanho e características do felino, há uma enorme chance de que seja aquele que as pessoas relatavam ter avistado em diversos pontos da cidade”, informou.
 
Katia contou que, quando soube do ocorrido, buscou o felino no Zoológico e o levou para estudos no Laboratório de Ecologia, Manejos e Fauna Silvestre da Esalq, que é coordenado pela pesquisadora.
 
“É de grande importância o uso de desses animais para pesquisas, para saber as condições de vida deles atualmente na cidade e até mesmo para fazer a ligação de parentesco que eles têm com outras onças, que já temos o material genético armazenado”, explicou.
 
A orientação dada por Ferraz é que o Corpo de Bombeiros, a Polícia Ambiental ou o Zoológico Municipal sejam acionados para retirar animais atrolepados ou que estejam andando pelas rodovias.
 
“Qualquer atropelamento pode ser fatal não apenas aos bichos, mas também para quem estiver dentro desses veículos”, enfatizou.
 
REGISTROS — Segundo a AB Colinas — concessionária da SP-127 — foram registrados 24 atropelamentos de animais no trecho entre Piracicaba e Rio Claro no primeiro trimestre de 2017.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar