,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Internautas dão dicas para 'estragar' Natal da família no Twitter
  • Com direção de Rian Johnson, 'Star Wars – Os Últimos Jedi' chega às telonas
  • Sai livro em que Ariano Suassuna trabalhou por 33 anos

Setembro tem melhor índice de emprego em sete anos
Felipe Poleti
11/10/2017 13h57
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
O nível de emprego industrial na regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) em Piracicaba registrou o melhor mês de setembro dos últimos sete anos. Com índices negativos em contratação para o período desde 2011, este ano a primeira alta aconteceu com um índice de 0,28%, com 100 novos postos de trabalho. “A evolução nos surpreendeu e não era esperada neste nível para este momento. Com este resultado, dificilmente fecharemos o ano no negativo, o que não acontece desde 2014”, disse Fábio Ramos Vitti, conselheiro titular da entidade em Piracicaba.
 
Os números ficam mais animadores quando observado o acumulado no ano que teve alta de 5,57%, o que representou 2.350 novos postos de trabalho e, nos últimos 12 meses, o indicador aponta para o cenário positivo em 2,31% com cerca de 1.000 novos postos. “Já percebemos que o setor parou de demitir. Agora estamos na expectativa de voltar a contratação, no entanto, não esperamos que isso venha acontecer de imediato”, afirmou Homero Scarso, gerente regional do Ciesp.
Para os dois especialistas do Ciesp, na comparação dos períodos de 2016 e 2017, o ano passado mostra “um buraco” nas contratações. “Em 2016, para setembro tínhamos um deficit de 1,6% com menos 700 postos de trabalho. No ano o indicador era negativo em 4,89% e uma perda de 2.250 vagas e, nos 12 meses, a retração era ainda maior, com -7,39% representando 3.450 empregos perdidos. Agora podemos dizer que conseguimos ir tapando este buraco e respirar com a cabeça fora dele”, completou Scarso.
 
Vitti lembrou que, o crescimento da indústria Piracicabana nos últimos meses aconteceu devido a algumas alterações feitas pelo Governo Federal, como facilitação de crédito a longo prazo e uma inflação menor. “Podemos dizer que a blindagem econômica feita pelo Ministério da Fazenda começou a surtir efeito. O empresário pode até não estar investindo muito, mas ele está encontrando motivos para manter a sua empresa funcionando. Acredito que este seja o momento em que podemos afirmar que a política se desvincula da economia”, afirmou.
 
RESULTADOS — Outro destaque é a colocação da regional de Piracicaba, em 14º, entre 35 diretorias regionais. No desempenho no ano, Piracicaba é a quarta colocada com indicador em 5,57% e é a terceira de melhor índice, nos últimos 12 meses, com 2,31%. “Não figurávamos em posição de destaque entre todas as regionais desde 2014.Outro fator que nos deixa otimistas é que, mesmo com a expectativa de demissões devido a sazonalidade, ou seja a safra, com cerca de 1.000 postos cortados até o final do ano, não vemos possibilidades de fechar o ano no vermelho, mais uma vez”, disse Scarso.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar