,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Retrospectiva de Basquiat no CCBB traz 80 obras de acervo particular
  • Uma seleção de atrações culturais e gastronômicas para comemorar 464 anos de SP
  • Estante com livros virados para a parede faz blogueira receber ameaças

Otimismo natalino
Rodrigo Alves
11/12/2017 15h10
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
No país do pós-impeachment, qualquer notícia que não aponte para o déficit deve ser comemorada. Quem pensa ao contrário, talvez tenha se esquecido do jargão jornalístico “apesar da crise...”, motivo de piadas nas redações e que tornou-se recorrente em 101 das 100 notícias recentes sobre a economia do país.
 
Pois, após o FMI (Fundo Monetário Internacional) estimar crescimento para o Brasil de 1,5% no PIB (Produto Interno Bruto) para 2018, qualquer estimativa positiva, é bem-vinda.
 
Nessa maré de comemoração está o resultado da enquete que a CDL (Câmara de Dirigentes Logistas) realizou com 188 logistas e 283 consumidores, conforme reportagem de Vinícius Chinelatto na edição do Jornal de Piracicaba de hoje. A expectativa é que as compras de Natal sejam 5,2% maiores que as do mesmo período do ano passado. Uma matéria que poderia até começar com o título “Apesar da crise...”.
 
É um dado complementar a uma outra notícia publicada esta semana pelo JP, de que o 13º salário deve injetar até R$ 460,4 milhões na economia local, segundo estimativa do Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista).
 
Se há expectativa de aumento nas compras, é sinal que parte da população já não está usando os vencimentos extras de dezembro somente para o pagamentos das dívidas. Entre os consumidores, a CDL diagnosticou que 85% planejam comprar presentes de Natal, 9% não irão presentear e 6% estão indecisos.
 
Desde o início do mês é possível notar que o comércio e o shopping estão mais cheios, embora isso não signifique a compra, de fato. A partir do dia 11, a tendência é que esse movimento aumente, com a chegada do horário especial para as compras de Natal.
 
É bom quando olhamos para os rostos felizes, de pessoas caminhando pelas calçadas dos corredores comerciais, com as mãos cheias de sacolas. E, em tempos de crise, é melhor ainda quando, vencido pela compra por impulso, o consumidor se dispõe a gastar sola de sapato e suar a camisa para fazer a melhor compra, somados a fatores como preço, atendimento e qualidade do produto.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar