,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Retrospectiva de Basquiat no CCBB traz 80 obras de acervo particular
  • Uma seleção de atrações culturais e gastronômicas para comemorar 464 anos de SP
  • Estante com livros virados para a parede faz blogueira receber ameaças

Moradores reclamam de atraso em correspondências
Felipe Poleti
11/01/2018 11h49
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Em período de crise econômica, como a que o país enfrenta, os todas as pessoas evitam pagar contas com atraso. No entanto, moradores da rua Carlos Sandalo, no Parque dos Eucaliptos, estão há alguns meses com dificuldades devido a problemas na entrega das correspondências feitas pelos Correios.
 
Segundo a chefe de cozinha Maria Elizabete da Silva Bom, 57, o problema vem há mais de um ano. “A coisa ficou pior nos últimos dois ou três meses. Os boletos chegam após o vencimento, cartas e outras cobranças são entregues com meu endereço na casa de outra pessoa, ou seja, no endereço errado. Isso dá dor de cabeça para nós, pois temos que ficar correndo atrás de tudo isso por causa de uma prestação de serviço de péssima qualidade.”
 
A bartender Daniela Aparecida dos Santos, 35, disse que, na última segunda-feira (8), se não estivesse de folga, pagaria mais juros por atrasos nas contas. “As cartas demoram muito para chegar, mas o Sedex chega certinho. Hoje mesmo já tive problemas porque não recebi um boleto e tive que correr no Centro pegar uma segunda via e pagar certinho. Se não tivesse tempo, pagaria juros, o que já aconteceu e o Correios não me ressarciu.”
 
Maria Elizabete enfatizou que os Correios, apesar das reclamações feita por todos da rua, não respondem. “Já ligamos nas agências dos Correios da cidade e, após um joga-joga de responsabilidade, consegui falar na distribuidora. Lá me confirmaram que havia correspondências da minha rua paradas e que seriam entregues em breve. No entanto, as cartas chegaram três dias depois.”
 
Em nota, a assessoria dos Correios esclareceu que os atrasos naquela região são pontuais “devido à sobrecarga de objetos postais acima do dimensionado no centralizador (onde a carga postal é tratada antes de ser encaminhada para os centros de distribuição)”. Reiterou também que as entregas já seriam regularizadas este mês. “Estamos utilizando trabalhadores temporários, apoio de empregados de outras unidades, mutirões e serviço extraordinário.”
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar