,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Lair Braga critica abandono das praças
  • Polícia Ambiental flagra pesca predatória no rio Piracicaba
  • Moradores de rua são aliciados para furtos,diz GOE

Equipes buscam vagas em casas abrigos da região
Da redação
13/03/2018 12h07
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
Equipe da Semdes (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social) de Piracicaba visitará as casas abrigos da região para verificar a possibilidade da ‘compra de vagas’ nas unidades para abrigar mulheres do município vítimas de violência doméstica. O assunto foi tratado entre a secretária Eliete Nunes e a presidente do Conselho Municipal da Mulher, Laura Maria Pires de Queiroz, ontem à tarde. Na última quinta-feira (8), no Dia Internacional da Mulher, o Jornal de Piracicaba informou a possibilidade da compra de vagas, porque os R$ 200 mil previstos no PPA (Plano Plurianual) são insuficientes para montagem de uma unidade no município.
 
“Durante a reunião, a secretária Eliete informou à Laura e Pâmela, representantes do conselho, que a secretaria está visitando os serviços para verificar se os mesmos estão dentro da normativa dos serviços da assistência social e se há a possibilidade de aquisição de vagas e ou parceria nos referidos serviços de outras cidades. Após esta verificação, passaremos para a Procuradoria Geral, para que eles manifestem como será o procedimento legal para a viabilização” trouxe a nota da pasta. O conselho vai se manifestar hoje sobre o assunto.
 
Na nota, a prefeitura não informou quais os municípios serão visitados. Semana passada, a presidente do conselho informou que há casas abrigos em Leme, Santa Bárbara d‘Oeste, Limeira e Sorocaba. Semana passada, a presidente do conselho informou que seriam necessários R$ 500 mil anuais para montagem dessa casa abrigo para atender mães e filhos de até 16 anos que têm de deixar seus lares por causa de agressores que colocam suas vidas em risco. Semana passada, a presidente do conselho confirmou que faz pelo menos cinco anos que é reivindicada a montagem desta unidade no município.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar