,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Estrelas do pop apostam no gênero
  • Elifas Andreato reúne obra em livro
  • Pancadão implacável

Prefeitura deve pagar R$ 3,23 por desapropriação
Da redação
14/03/2018 11h52
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
O prefeito Barjas Negri (PSDB) revogou os decretos que tornava de utilidade pública áreas do Centro Social Cáritas, na Pauliceia, para fins de desapropriação, e quer pagar apenas R$ 3,23 pelo prédio onde funciona a Unidade Básica de Saúde do bairro. Mas o imóvel está penhorado para pagar dívida trabalhista e está avaliado em R$ 375 mil. O decreto 17.421, de 8 de março, foi publicado no Diário Oficial do último dia 10. A revogação havia sido discutida pela nova diretoria com o prefeito mês passado e agora foi oficializado o acordo, que prevê a desapropriação da área do posto de saúde do bairro, pertencente à entidade. A prefeitura confirma que será mantida a desapropriação do imóvel da UBS a preço simbólico.
 
Contudo, a transferência do imóvel dependerá de assembléia geral dos associados, que será realizada no próximo dia 23, às 19h, na sede (rua Santa Helena, 358), segundo o secretário da entidade, Bruno Campos. Esse imóvel está penhorado pela Justiça para garantir o pagamento de dívidas de contribuição previdenciária e fundo de garantia no valor aproximado de R$ 28 mil. O terreno e a construção estão avaliados em R$ 375 mil, informou Bruno. A nova diretoria vai entrar com pedidos de parcelamento das dívidas das gestões anteriores, para cancelar a penhora do imóvel, informou o secretário.
 
Em nota, a prefeitura confirma as tratativas. “Recentemente, houve a revogação dos decretos porque a entidade foi recém-constituída, assumindo as responsabilidades pela sua condução administrativa. Ficou acertado também de que o imóvel onde hoje funciona a UBS será mantida a desapropriação, a preço simbólico”, traz a nota da administração.
 
“A diretoria agradece imensamente a toda população que participou das ocupações, as pessoas que doaram seu tempo e objetos que foram usados nas diversas reformas. Agradecemos também a prefeitura que, atendendo as solicitações, aceitou dialogar, e, ao entender quais os verdadeiros intenções e projetos para o espaço, decidiu voltar atrás na decisão tomada, isto mostra que estamos no caminho certo”, afirmou a presidente da entidade, Joselaine Aparecida Campos.
 
Segundo Bruno, a ocupação dos imóveis pelos moradores termina no dia 31 e a reinauguração será em 14 de abril.
Ontem, a diretoria se reuniu com o secretário de Trabalho e Renda, Evandro Evangelista, e com o presidente do CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), Reinaldo Pousa, para apresentar os projetos de capacitação profissional para preparar as pessoas ao mercado de trabalho.
 
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar