,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • Gretchen aproveita momento em alta e estreia reality show com sua família
  • 'Westworld' abre nova temporada com sangue
  • Com 'Despacito', 16 semanas no topo das paradas dos EUA, Luis Fonsi mudou o jogo

Câmara vota liberação de recursos para estrada da Ceasa
Da redação
12/04/2018 14h10
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
A Câmara votará hoje, em primeira discussão, o PL (projeto de lei) que autoriza o repasse de R$ 5 milhões do Governo do Estado de São Paulo para a reforma da estrada SPA Dorival Pardi, a “Estrada da Ceasa”, que liga as rodovias Cornélio Pires (SP-127) e do Açúcar (SP-308). Os recursos serão utilizados para recuperação e restauração do trecho entre o km 4, no acesso da SP 155/208, e o km 7, que liga à SP-127. 
 
A liberação do recurso foi anunciada em 27 de fevereiro pelo então vice-governador Márcio França (PSB), em visita a Piracicaba. A recuperação da estrada já tinha sido solicitada para o Governo do Estado em diversas oportunidades, tanto por parte do Executivo quanto do Legislativo.
 
Em outubro do 2017, a discussão sobre de quem era a responsabilidade de recuperação da via foi concluída após a Artesp (Agência Reguladora de Serviços Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) afirmar que cabe à Prefeitura de Piracicaba e não à concessionária Ab Colinas recuperar o pavimento do local. Para poder receber a verba estadual, foi necessária a criação do projeto de lei. 
 
Em fevereiro, o JP constatou que ao longo dos oito quilômetros totais de extensão da via há muitas ondulações no asfalto. No trecho que deve receber as melhorias, a faixa que separa o fluxo de tráfego na via está apagada e, em alguns pontos, a pintura no asfalto tem sinais de desgaste. O acostamento é em terra ou grama. A movimentação de caminhões é intensa, já que a estrada dá acesso à Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo).
 
Se aprovado, o PL terá que ser apreciado em segunda discussão na Câmara e seguirá para sanção do prefeito. 
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar