,
Clique e
assine o JP
Televendas: 3428-4190
Classificados: 3428-4140
Comercial: 3428-4150
Redação: 3428-4170
Últimas notícias:
  • As fases de Nara Leão
  • 'Além da 9': Ronaldo deve ganhar série dirigida por Bruno de Luca
  • Há 55 anos, estreava 1ª novela diária da TV brasileira

Ambiental Piracicaba informa que biodigestores estão em testes
Fernanda Moraes
11/07/2018 09h27
  |      
ENVIAR     IMPRIMIR     COMENTE              
 
(Claudinho Coradini/JP)
 
 
O diretor presidente da Ambiental Piracicaba, Gerson de Gruttola, empresa que integra a PPP (Parceria Público Privada) para os serviços do Ecoparque CTR (Centro de Tratamento de Resíduos) Aterro Palmeiras, contestou matéria publicada dia 4 de julho, em que ambientalistas e Ministério Público denunciam o não funcionamento da fábrica de biodigestores, instalada no local, para a compostagem de resíduos orgânicos.
 
Em nota, Gruttola informa que os biodigestores integram o plano de negócios da implantação da PPP desde sua concepção em 2009, formulada pela Prefeitura de Piracicaba. Para tanto, foi aberto processo licitatório, vencido pela Ambiental Piracicaba que apresentou o menor preço e com a consequente assinatura do contrato, em agosto de 2012. “Os biodigestores foram sim construídos e estão em teste hidrostático desde abril deste ano. Os equipamentos foram importados da Alemanha e não da Holanda, atualmente, estão sendo concluídos os testes de estanqueidade (fluido e gasoso)”. Gruttola a explica que o carregamento inicial de resíduo orgânico para geração de gás é a próxima etapa para integração entre a triagem e o processamento no biodigestor.
 
Segundo ele, o complexo CTR vai além de triagem. “A Central TMB (Tratamento Mecânico Biológico), trata o resíduo de forma correta e eficaz e contempla todos os quesitos da Lei de Resíduos Sólidos vigente (Lei 12.305/10), ou seja, recepção, estocagem em galpão com filtros e exaustores especiais que controlam o ar interno da usina, rasga sacos para a transferência e separação de metais, triagem e separação dos resíduos orgânicos e inorgânicos em peneiras especiais, com transposição por meio de esteiras e separação manual em baias para inorgânicos que são separados e estocados por tipo e tamanho”, explica.
 
DENSIFICADOR - O diretor presidente informa ainda, que os materiais separados são tratados em um densificador que faz uma segunda separação mecânica/aerada para posterior trituração em equipamento especifico, importado da Itália, com capacidade de 15 toneladas/hora, que resulta no CDR (Composto Derivado de Resíduos), sendo o único CDR produzido no Brasil dentro dos parâmetros aprovados internacionalmente, com poder calorífico acima de 6.000 KCal para ser incorporado em fornos de cimento como combustível suplementar em substituição de parcela de carvão coque utilizados nos fornos.
 
Gruttola informa que atualmente 70% dos resíduos coletados são inorgânicos e 30% orgânicos, “face a modificação comportamental da população com mudança de hábito alimentar e redução no consumo de produtos orgânicos, reduzidos por força da recessão que vivenciamos no país, com a substituição por produtos industrializados embalados”, diz. 
 
“Em relação do ainda citado pela promotoria (Ministério Público), quando afirmam da baixa qualidade da compostagem, os mesmos não têm conhecimento da realidade onde tratamos em leiras com equipamentos especializados para secagem dos resíduos e sua pré-trituração, que produzem CDR (Composto Derivado de Resíduos) Classe B com poder calórico de 3.500 KCal superior ao de bagaço de cana utilizados nas usinas de açúcar e álcool como biomassa”, ressalta Gruttola.
 
INCINERAÇÃO - Sobre o fato desses resíduos serem enviados à incineração feita nas cimenteiras com resíduos tratados, Gruttola esclarece que os índices de cloro, mercúrio e elementos químicos perigosos “estão todos abaixo dos índices estabelecidos pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), que são extremamente rigorosos e analisados diariamente em laboratórios a cada carga de CDR produzido”. 
 
Quanto ao fato de o Ministério Público e ambientalistas estarem preocupados com a ampliação de 400 toneladas/dia para 1.000 t/dia de resíduos, o diretor presidente diz que a incineração nas cimenteiras é fornecida somente “ grupo Votorantim que está devidamente autorizado à recepção, de CRD de alta qualidade, que será incinerado com blendagem nas proporções devidas, nos fornos de alta performance (Hot-mix) instalados em Salto (SP) com todos os tratamentos de efluentes líquidos ou gasosos dentro da maior tecnicidade existente”, informa Gruttola.
 
 
Voltar

Comentários

Nome:
E-mail:
Comentário:
 

  • Seja o primeiro a comentar