Cinco pessoas são presas por dia em Piracicaba, segundo a SSP

Operações conjuntas das polícias estão sendo realizadas na cidade. (Divulgação/PC)

Mais de cinco pessoas são presas por dia, segundo levantamento divulgado pela SSP. Nos cinco primeiros meses do ano, 838 prisões foram efetuadas na cidade pela Guarda Civil, Polícias Civil e Militar, e 62 armas ilegais foram retiradas de circulação. De acordo com a Pasta, indicadores relacionados à crimes contra o patrimônio estão em queda. Entre eles está o destaque para o roubo (outros), que abrange ações contra pedestres, empresas ou residências, por exemplo. Apresentou queda de 39% dos registros nos cinco primeiros deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Com 460 casos em 2018, ante 278 em 2019, conforme estatísticas divulgadas pela (Secretaria de Estado de Segurança Pública).

O roubo de veículos também teve diminuição das ocorrências com 111 casos, ante 70 (queda de 36%). As outras modalidades como furtos outros, totalizaram 1.539 em 2018, ante 1.417 neste ano, representando o decréscimo de 7,9%. Furtos de veículos apresentaram queda de 6,7% (369 em 2018 e 344 neste ano)

Nos crimes considerados “contra a vida”, como a tentativa de homicídio houve o mesmo número de registro nos dois períodos, com 13 casos. Já o homicídio teve 10 casos no ano passado e 11, em 2019 (aumento de 10%).

O coordenador operacional do 10º BPM/I (Batalhão da Polícia Militar do Interior), major José Antonio Golini disse que além dos indicadores criminais, os policiais tem realizado um acompanhamento de alguns acusados em crimes. “Soubemos que um envolvido em roubos e furtos de veículos estava em liberdade condicional. No dia 12 de junho conseguimos prendê-lo novamente após ser flagrado com carro furtado”, afirmou o oficial.

Golini completou que a PM tem priorizado a determinação do tenente- coronel Rodrigo Eval Arena, comandante do 10º, para intensificar as prisões dos foragidos da Justiça. “Consideramos que além de pena imposta à ele que deve ser cumprida, a probabilidade de que irá continuar atuando na criminalidade é grande”, enfatizou o major.

O delegado Seccional de Piracicaba, Américo Sidnei Rissato considerou a queda dos índices criminais refletem o resultado do trabalho conjunto com os demais órgãos que compõem o sistema de segurança pública e a política de trabalho ‘tolerância zero’. “Estão entrosados Polícia Civil, Polícia Militar, Guarda Civil, Ministério Público, Justiça e SAP (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária)”, disse o delegado. “Estamos continuando com as ações conjuntas com as forças de segurança. Nossos indicadores criminais tem nos mostrado que estamos na direção certa. O trabalho está sendo realizado diuturnamente, para conseguirmos manter a sensação de segurança dos cidadãos”, afirmou Rissato.

Cristiani Azanha