Cleber Mata será Secretário de Comunicação de Doria

Doria Doria prometeu atendimento às prefeituras de todos os municípios. ( Foto: Divulgação)

O jornalista Cleber Mata será o titular da Secretaria Especial de Comunicação do governo estadual a partir de janeiro. Ele foi anunciado pelo governador eleito, João Doria, anteontem, em entrevista coletiva que contou com a presença do vice-governador eleito, Rodrigo Garcia, e de membros da equipe de transição. Na mesma ocasião, foi apresentado também o chefe da Casa Militar e coordenador da Defesa Civil, coronel Walter Nyakas Junior.

“A sociedade quer o governo se comunicando de forma mais ativa, dinâmica e transparente”, disse Mata à Rede APJ (Associação Paulista de Jornais). Aos jornalistas, Mata disse que o Estado de São Paulo é muito dinâmico, “com muita imprensa no Interior”, e disse esperar uma relação cordial e de valorização do trabalho profissional de todos.

Cleber Mata, 38 anos, é formado em jornalismo pela PUC de Campinas, com especialização em marketing político pela USP. Atuou por dez anos na subsecretaria de comunicação do governo de São Paulo e comandou a assessoria de imprensa do presidente da Assembleia Legislativa, Cauê Macris.

O coronel Nyakas, 51 anos, ingressou na Polícia Militar em 1985, é bacharel em direito, tendo exercido funções na Casa Militar do governador e na Defesa Civil do Estado.

Regionalização
João Doria prometeu anunciar ainda esta semana o titular da área que chamou de Regionalização, equivalente à antiga Secretaria do Interior. “É essencial a descentralização para evitar que os prefeitos percam tempo enorme na capital”, justificou, novamente. “A municipalização é uma decisão de governo, consta de nosso programa. Será um governo descentralizador”.
O secretário da área, segundo Doria, terá visão política, mas atuação técnica, com vistas a melhorar a capitalização de recursos destinados aos municípios. Como exemplo, disse que a secretaria deverá implementar um programa digital para orientar os gestores municipais para que alcancem eficiência nos processos e evitem desperdício de tempo com erros. Para isso, Doria quer estimular entre os prefeitos que as administrações municipais entrem de vez no mundo digital. “Chega de papelzinho, de ofícios, será tudo eletronicamente”, disse.

O governador eleito prometeu atendimento às prefeituras de todos os municípios pequenos, médios e grandes, independentemente de porte, partido ou ideologia, “desde que façam bons projetos”.
Outra novidade é a estrutura física para a transição do governo estadual, que já está funcionando na Avenida Paulista, em três andares no prédio da Caixa Econômica Federal.

Redução de gastos
Doria confirmou a redução de secretarias em relação ao número atual, por meio de fusões de estruturas, cuja configuração será completada em três semanas. Vai ser acompanhada de enxugamento da máquina pública, cujos detalhes serão anunciados somente após a posse. Rodrigo Garcia informou que a equipe de transição tentará flexibilizar o orçamento para 2019, encaminhado para aprovação à Assembleia Legislativa pelo atual governo, para que se adapte o possível às prioridades do próximo governo. Segundo ele, a área que mais preocupa em relação à previsão de recursos é a de saúde, devido às demandas de novos serviços.

Equipe confirmada
Anteriormente, haviam sido anunciados os seguintes nomes para o governo de João Doria: Gilberto Kassab (Casa Civil), Rossieli Soares da Silva (Educação), Sérgio Sá Leitão (Cultura), José Henrique Germann (Saúde), Marcos Penido (Energia, Saneamento e Recursos Hídricos e Meio Ambiente), Gustavo Junqueira (Agricultura), general João Camilo Pires de Campos (Segurança Pública), Paulo Dimas Mascaretti (Justiça), Célia Leão (Pessoa com Deficiência), Júlio Serson (secretaria especial de Relações Internacionais e presidente da agência Investe SP) e Rodrigo Garcia (Secretaria de Governo). Wilson Pedroso será o chefe de gabinete. (Wilson Marini, da Rede APJ).

(Da Redação)