Colocando a boca no trombone

No Brasil, parece que somente após as pessoas colocarem a boca no trombone é que as autoridades se movimentam para solucionar os problemas. O Jornal de Piracicaba publicou reportagem no último dia 7 mostrando que trechos da rodovia Geraldo de Barros (SP-304), entre o distrito de Ártemis e Piracicaba, estavam esburacados, apesar de a pavimentação ter sido executada recentemente. E, claro, os problemas causavam transtornos aos usuários deste importante rodovia da região.
 
Na ocasião da denúncia, o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) informou que as obras continuavam no trecho e estavam dentro do cronograma. E que se houvesse problemas, o trecho deteriorado seria consertado. Foi o que ocorreu ontem. O deputado estadual Roberto Morais (PPS) ligou na redação do jornal para avisar que a obra estava dentro do cronograma, que pediu agilidade na execução e que não foram interrompidas, impressão que se dava porque a reportagem na ocasião não avistou máquinas trabalhando no local. 
 
Menos mal. Apesar desta retomada das obras no trecho, tem usuário que reclama da qualidade do asfalto, tanto que está esburacada, sem contar a falta de olho de gato e de sinalização — esses dispositivos normalmente não providenciados após o asfaltamento. O DER garante que se ocorrerem novos problemas, a construtora será notificada para refazer os serviços.
 
É o mínimo que se espera. Afinal, esta obra é de extrema importância para os moradores da região e também para turistas que utilizam a estrada. É uma obra muito esperada pela comunidade da região.
 
O curioso que não foi só neste trecho que o asfalto cedeu. Na mesma ocasião, a reportagem mostrou que o trecho entre Ártemis e São Pedro, inaugurado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), antes de deixar o comando do Estado para disputar a presidência da República, também apresentava buracos na pista e acostamento. 
 
Agora é aguardar se os trechos serão novamente refeitos. De qualquer forma, a população e a imprensa terão de exercer os papéis de fiscalizadores dessas obras. Ainda tem um ano pela frente para conclusão toda da extensão das obras entre Americana e Piracicaba e desta até Ártemis. Fiquemos de olho, para garantir que o suado dinheiro dos impostos seja bem empregado. (Claudete Campos)