Com início ‘meteórico’, atleta de Piracicaba disputa título nacional

Kung Fu Beatriz Barros é treinada pelo mestre Pablo Rafael na Escola de Kung Fu Lung Fu de Piracicaba. (Foto: Líder Esportes)

A atleta Beatriz Juliana Gomes Barros, 24, embarca na próxima semana para Londrina (PR), cidade que será palco para o Campeonato Brasileiro de Kung Fu. A lutadora da Escola de Kung Fu Lung Fu Piracicaba, sob a orientação do mestre Pablo Rafael, irá disputar o título na categoria 75 kg avançado (sanda). Há pouco mais de um ano praticando a mais antiga das artes marciais, Beatriz teve início meteórico na modalidade: em abril, ela venceu a Seletiva Paulista, em Atibaia, conquistando a vaga para o Nacional.

Os bons resultados da atleta não pararam por aí. No mês de julho, Beatriz conseguiu o título paulista da mesma categoria, logo na primeira vez que participou da competição. “Sinceramente, foi uma surpresa, eu não estava esperando os resultados. Tenho experiência na prática de esportes, mas é o meu primeiro ano competindo no kung fu. Acredito que as orientações do mestre ajudaram bastante, ele passa confiança e tranquilidade, e foi o meu córner nos dois eventos”, afirmou.

O interesse de Beatriz pelas artes marciais surgiu cedo: aos 10 anos, ela começou a treinar kickboxing, mas nunca disputou uma luta nos seis anos de contato com a modalidade. Na sequência, a atleta trocou as luvas pelas sapatilhas e passou a se dedicar ao atletismo. Velocista, Beatriz participava das corridas de 200 m e 400 m, além das provas de revezamento. “Minha ideia é seguir firme no kung fu, pois sempre gostei de lutar. Não competia antes, pois minha mãe não deixava (risos), ficava com medo. Ainda hoje, ela fica com o coração na boca”, contou.

INCENTIVO

Beatriz realiza treinamentos específicos três vezes por semana, além dos trabalhos físicos. Apesar do receio da mãe, a lutadora tem seus incentivadores em casa: o marido Romenigue e o filho Marcos apoiam a atleta. Além deles, Beatriz vê no irmão Alessandro um exemplo a seguir. Ele também irá participar do Campeonato Brasileiro, na categoria 80 kg avançado. “Essa ligação ajuda muito, nós incentivamos um ao outro, damos os puxões de orelha e acabamos sofrendo juntos”, disse Beatriz, que mantém o foco no Nacional.

“Estou ansiosa, mas tento manter a calma. Sei que será difícil, o nível da competição é alto, e tenho estudado as possíveis adversárias, tentando colher informações”, relatou. Apesar de o evento estar marcado apenas para a semana que vem, a primeira luta já começou. “Nós estamos buscando patrocinadores para ajudar a cobrir os gastos que vamos ter com alimentação, estadia e uniformes. São cinco dias de hospedagem, fica um pouco caro para nós, mas acredito que o sacrifício vai valer a pena”, finalizou.

(Líder Esportes)