Com legado de Nelson Mandela, África do Sul é tricampeã mundial de Rugby

Springboks venceram a Inglaterra na final. (Foto: Divulgação/Springboks)

A África do Sul conquistou a Copa do Mundo de Rugby no último sábado (2), após superar a Inglaterra por 32 a 12 na final, disputada no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão. A equipe sul-africana conquistou o título após seis vitórias e uma derrota, com Duane Vermeulen, que joga na posição de 8º homem, sendo eleito o melhor jogador da decisão.

Os sul-africanos começaram sua campanha com derrota para a forte Nova Zelândia (conhecidos mundialmente como All Blacks) pelo placar de 23 a 13, porém engatou três vitórias seguidas, diante de Namíbia (57 a 3), Itália (49 a 3) e Canadá (66 a 7), para assegurar o segundo lugar do Grupo B, com 15 pontos. Nas quartas de final, os “Springboks” venceu a sede Japão, por 26 a 3, e superou País de gales por 19 a 16, para derrotar a Inglaterra na decisão, por 32 a 12.

Com essa vitória, é o terceiro título dos Springboks. Eles não disputaram as duas primeiras Copas de Rugby em razão do Apartheid, movimento de segregação racial que perdurou por muito tempo no continente africano. Após o fim deste movimento, a África do Sul disputou as sete copas seguintes, vencendo em 1995, 2007 e 2019, além de ter ficado em 3º lugar nas edições de 1999 e 2015.

O primeiro título, conquistado em 1995 na própria África, foi tema do aclamado filme “Invictus”, em que, após o fim do apartheid, o recém-eleito presidente Nelson Mandela liderou uma África do Sul economicamente dividida. Ele acreditou que poderia unificar a nação através da linguagem universal do esporte. Para isso, Mandela juntou forças com Francois Pienaar, capitão do time de rúgbi, promovendo a união dos sul-africanos em favor do time do país na Copa Mundial de Rúgbi de 1995.

Mauro Adamoli

[email protected]