Com reviravolta e polêmica, XV de Piracicaba perde em Santos

Em uma partida recheada de gols, reviravoltas e polêmica de arbitragem, a Portuguesa Santista venceu o XV de Piracicaba por 4×3, nesta quarta-feira (13), em Santos, pela sétima rodada da Série A2 do Campeonato Paulista. A Briosa abriu 2×0, o Alvinegro conseguiu virar para 3×2 com dois gols de Ronaldo e um de Douglas Marques, mas o time mandante virou novamente para 4×3 nos minutos finais, em lances questionáveis. Com a derrota, o XV caiu para o sétimo lugar. O Nhô Quim retorna ao Barão da Serra Negra no próximo sábado (16), às 17h, quando recebe o São Bernardo.

Com a volta de Michel na lateral esquerda e Danilo Bueno titular no meio-campo, Misael foi deslocado para o ataque no lugar de Ítalo, opção no banco de reservas. O XV iniciou o duelo mais ligado que o adversário e quase abriu o placar aos 6min, em cobrança de falta do zagueiro Gilberto Alemão que desviou na defesa e passou perto da trave direita do goleiro John. Aos 11min, foi a vez de Ronaldo cabecear para fora o cruzamento de Kadu, após belo lance individual pela esquerda.

A Portuguesa Santista cresceu de produção a partir dos 20min. A primeira chegada da equipe mandante aconteceu aos 22min, em finalização de Wesley defendida por Luiz Fernando. Na sequência, Tufa pegou o rebote na entrada da área e chutou com força, a bola desviou em Douglas Marques e acabou nas mãos do goleiro quinzista. Aos 34min, a pressão surtiu efeito. Após girar a bola de um lado para o outro, o lateral-direito Ferro avançou à linha de fundo e cruzou. Livre, o atacante Wesley completou para o gol: 1×0. Na última bola antes do intervalo, Carlos Alberto quase ampliou em tiro cruzado que saiu pela linha de fundo.

Na etapa final, o Nhô Quim tentou pressionar, mas sofreu o segundo gol aos 8min. Carlos Alberto aproveitou uma sobra de bola na pequena área e tocou por baixo de Luiz Fernando para aumentar a diferença: 2×0. Os jogadores do Alvinegro reclamaram um desvio com a mão de Rodriguinho na origem do lance, mas a arbitragem não viu irregularidade. O técnico Tarcísio Pugliese e mexeu duas vezes para tentar reagir. Ítalo e o estreante Luizinho substituíram Kadu e Danilo Bueno, respectivamente. E o XV reagiu, como reagiu!

Aos 27min, Walfrido iniciou a jogada pelo meio e Luizinho escorou para Ronaldo bater firme e descontar: 2×1. O XV cresceu com o tento e não demorou para chegar ao empate. Aos 31min, Misael cobrou falta para a área e o centroavante Ronaldo subiu mais que o goleiro John para deixar tudo igual no Ulrico Mursa: 2×2. Aos 35min, o que parecia improvável aconteceu. John fez excelente defesa após cabeçada de Gilberto Alemão, mas a bola sobrou para Ítalo, que tocou para Douglas Marques virar: 3×2. Mas, o jogo ainda não tinha acabado.

CONFUSÃO

Aos 43min, Diego Palhinha arriscou um chute de longe e o goleiro Luiz Fernando caiu atrasado. O camisa 1 desviou a bola, que ainda tocou a trave antes de entrar: 3×3. Nos acréscimos, a Portuguesa Santista conseguiu dar a reviravolta. Rodriguinho brigou pela bola na área e ela ficou com Daniel Bueno, que bateu no canto direito de Luiz Fernando: 4×3. Os jogadores do Nhô Quim protestaram contra um toque de mão do atacante rival, mas a arbitragem novamente fez vista grossa. Após a partida, o elenco quinzista protestou bastante contra a atuação do juiz José Guilherme Almeida e Souza. Misael e Ronaldo classificaram o ocorrido como ‘várzea’, em entrevista à Rádio Educadora. O diretor de futebol Ricardo Moura, descontrolado com a situação, xingou o quarteto de arbitragem na saída para os vestiários. “São quatro vagabundos, quatro filhos da p…”, gritou.

 

Líder Esportes