Combate a incêndios será prioridade do Gaema em 2019

reunião Reunião aconteceu no Ministério Público. ( Foto: Claudinho Coradini/JP)

A contenção de incêndios em espaços ambientalmente protegidos foi apontada como proposta de atuação aos promotores de Justiça do Gaema (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente) e Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) e será uma das principais prioridades do grupo para o próximo ano. O assunto foi discutido ontem durante reunião regional entre os promotores do núcleo PCJ e de promotores de cidades da subbacia que reuniu representantes dos municípios da área de atuação do órgão.

De acordo com a promotora Alexandra Faccioli Martins a reunião contou com a participação de aproximadamente 60 pessoas e representantes de 14 municípios, além de órgãos públicos, entidades ambientais, universidades e sociedade civil. “Nessa oportunidade foi realizada a apresentação dos trabalhos desenvolvidos pelos promotores no decorrer do ano de 2018”, afirmou Alexandra, acrescentando que também foram ouvidos os presentes para a coleta de sugestões visando o estabelecimento das metas regionais de atuação para o ano de 2019.

Para o combate aos incêndios foi destacado a necessidade de melhoria da Operação Corta-Fogo para a proteção das unidades de conservação. Para isso, segundo a promotora, será preciso articular as ações dos órgãos envolvidos na operação, que tem como foco os espaços rurais. “Será preciso um envolvimento maior por parte dos envolvidos, entre eles o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil”, afirmou.

Segundo Alexandra, a prioridade está tanto em evitar as queimadas como na eficiência do combate às chamas. Quanto as causas dos incêndios, ela disse que não é possível apontar para um único fator, pois podem variar desde criminosas até naturais que ocorrem na época de estiagem.

REGIONAL – Durante a reunião, os participantes enfatizaram a necessidade do fortalecimento do planejamento regional, sobretudo por meio da Aglomerado Urbano e Região Metropolitana de Campinas, com maior envolvimento por parte dos municípios na elaboração do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado, para implementação de políticas públicas relacionadas aos resíduos sólidos e de outros temas.

(Beto Silva)