Começa hoje,no Engenho Central, 11º Festival Paulista de Circo

circo Família Spacial é uma das atrações na Lona Piolin,que contém mil lugares. (Foto: Lidiane Braga)

 

A 11ª edição do Festival Paulista de Circo começa hoje e vai até domingo, 9 de setembro, no Engenho Central, com programação que compila cerca de 65 apresentações, todas gratuitas. As sessões de hoje e amanhã, das 10h às 14h, são exclusivas para estudantes de escolas públicas e particulares e grupos de idosos. A abertura oficial do festival para o público em geral será amanhã, às 20h. Nos dias 7, 8 e 9, as atividades do evento começam a partir das 13h. Programação completa está disponível em omelhordaculturasp.com.

Às 10h desta quarta-feira, na lona Piolin, o Circo Spadoni entra no picadeiro para um show que reúne, além de circo, a música, o teatro e a dança. Os artistas provam força e coragem desafiando limites em coreografias e performances. No mesmo horário, na lona Arrelia, Zé Preguiça, do grupo Namakaca, deve divertir o público com palhaçadas, malabarismos e contação de história. Zé Preguiça é um camponês indolente que, ao ser forçado a trabalhar, se envolve em uma série de trapalhadas e situações inusitadas. Enquanto isso, na lona Pimentinha, a diversão é por conta do Porongo Vaudeville, que faz uma releitura dos grandes shows de variedades do começo do século, através da dança, da música ao vivo, da mágica, do malabarismo e do humor.

Sob a direção de Margareth Querubin, os personagens da Família Spacial se apresentam às 14h, na Lona Piolin. No mesmo horário, na lona Arrelia, a palhaça Fiorella, enquanto aguarda para ser atendida pelo seu psiquiatra, desenvolve as várias possibilidades de equilibrismo por meio de números de rola-rola, chicote e acrobacias. Já na lona Pimentinha, é o palhaço Jerônimo o protagonista. Ele mostra ao seu respeitável público um espetáculo que evidencia seu talento como músico e artista circense, além de sua habilidade, sua graça, sua destreza, sua audácia, sua beleza e a sua elegância.

Este 11º Festival Paulista de Circo inclui, ainda, um festival de mágica de três noites, com Ricardo Malerbi. Também serão oferecidas oficinas de formação para artistas circenses e apresentações em bairros e escolas da periferia, com previsão de atender cerca de 7.600 crianças.

Titular da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo), Rosângela Camolese comentou a importância do evento para a cidade. “Este festival resgata a tradição do circo brasileiro. Para nós, é um prazer receber em todos os anos as mais importantes companhias de artes cênicas do país”, afirmou.

SERVIÇO — 11º Festival Paulista de Circo. De hoje até domingo, no Engenho Central (avenida Maurice Allain, 454, Vila Rezende). Entrada gratuita. Programação completa e informações em: omelhordaculturasp.com.

(Raquel Soares)