Comerciantes denunciam mulher por estelionato

Ontem, no período da tarde, oito comerciantes de Piracicaba compareceram à UPJ (Unidade de Polícia Judiciária) para registraram boletim de ocorrência 120/2018 contra uma mulher, que teria lhes aplicado golpe de estelionato. A denunciada, uma mulher de 37 anos, alegava sempre estar com problemas no cartão para efetuar pagamentos.
 
A consultora de vendas Patricia Cristina Ignatti Rodrigues, 33, relatou ao JP que o caso ocorreu com ela no dia 17 de março. “Ao fazer a compra, ela disse que seu cartão ou sua conta bancária estava com problemas e não conseguia pagar no momento. Ela me informou que iria pagar a conta e até mandou prints de agendamento de transferências bancárias, porém o valor não foi ressarcido.”
 
Débora Evilin Marchioretto, 28, que é empresária, também foi vítima do golpe. “Tenho uma loja de roupas e ela sempre ia, conversava comigo e pagava certinho o que comprava. Porém, um dia, ao fazer a compra, ela me disse que seu cartão estava com problemas e que faria uma transferência na minha conta bancária. Isso foi em dezembro e, até agora, nada de pagamentos”, contou Débora.
 
A revendedora de sapatos Meirielen Granelli Nunes, 35, disse que o caso ocorreu com ela na véspera do Natal do ano passado. “Ela entrou em contato comigo pelo Facebook e pediu alguns modelos de sapatos. Quando fui levá-los, ela me disse que estava com problemas em seu cartão e que faria a transferência, porém não o fez”, contou Meirielen. A revendedora teria tentado contato com a mulher, que só respondia com desculpas pessoais por não conseguir pagar.
 
Sirléia Adriana Romão, 36, que é vendedora de bolos, disse que a denunciada a procurou pelo Facebook e Whattsapp. “Ela pediu alguns bolos e eu fui entregá-los. Foi aí que ela me pediu que esperasse um pouco, e, ao voltar, disse que seu cartão havia sido bloqueado e pediu o número da minha conta para fazer transferência do dinheiro, porém, não fez o pagamento.”
 
Segundo Sirléia, a denunciada pediu novamente seu bolo e disse que pagaria tudo de uma vez, porém, ao levar o bolo, ela novamente não recebeu o pagamento. “Foi aí que entrei em contato com pessoas que também sofreram o mesmo caso e comparecemos à delegacia”, disse Sirléia.
 
A denúncia será apurada pelos policiais civis da UPJ.