Comércio tem horário especial para o Dia das Mães

Consumidor terá mais tempo para escolher um presente neste Dia das Mães (Foto: Amanda Vieira/JP)

O comércio de rua e corredores comerciais de Piracicaba terão horário especial de funcionamento nas vésperas do Dia das Mães. Hoje, as lojas abrem até às 22h e amanhã até às 18h. De acordo com o Sincomércio – Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba e Região – a abertura do comércio em feriados em datas especiais é resultado de acordo feito entre a entidade e o Sincomerciários (Sindicato dos Empregados no Comércio de Piracicaba).

Além de acompanhar as questões ligadas à categoria, a entidade sindical orienta que os lojistas realizem promoções de Dia das Mães, para melhorar as vendas. Outra forma de atrair o cliente é oferecer desconto no pagamento em dinheiro ou à vista, o que ainda ajuda no giro de fluxo de caixa. Assim, o empresário terá espaço físico e recursos para a compra de mercadorias das próximas datas comemorativas como Dia dos Namorados e Dia dos Pais.

EXPECTATIVA

A expectativa de aumento nas vendas do comércio para o Dia das Mães está entre 3% e 4,7%, conforme estimativas do Sincomércio e da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas) de Piracicaba, respectivamente. As duas entidades apontam o resultado negativo da economia nacional para a projeção de vendas da segunda data mais forte do calendário lojista.

Apesar de a intenção de consumo ter diminuído nos últimos meses, a direção do Sincomércio Piracicaba projeta uma alta de 3% nas vendas para este Dia das Mães, em relação ao mesmo período do ano passado.

No início do ano, a previsão para a data era de alta de 5%. “Os consumidores não vão deixar de dar ao menos uma lembrancinha neste dia tão especial”, afirmou o presidente do Sincomércio Piracicaba, Itacir Nozella.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Reinaldo Pousa, a economia atual tem trazido um clima de incerteza para o comércio. “As expectativas criadas com o nvo governo eram maiores e o resultado real não vem acompanhando e isso vem trazendo uma incerteza muito grande, não só para os lojistas mas também para os consumidores que ainda estão visulaizando um aumento do desemprego e consequentemente pensando mais na hora de comprar”, explicou. “Acreditamos que esse percentual apurado possa ainda ser um pouco maior”, acrescentou Pousa.

Beto Silva