Comissão da OAB Piracicaba realiza 1º Simpósio da Mulher na quarta-feira

Simone-Comissão da Mulher OAB Simone de Toledo preside a Comissão da Mulher da OAB Piracicaba (Crédito: Amanda Vieira/JP)

Nessa quarta-feira (13), a partir das 15h, será realizado o 1º Simpósio da Mulher da 8ª Subseção da OAB. Promovido pela Comissão da Mulher da 8ª Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), o evento será na Casa do Advogado e terá participação de juízas, professoras universitárias de Direito e demais conselheiras da OAB São Paulo. Segundo a advogada Simone Seghese de Toledo, presidente da Comissão da Mulher da OAB, as temáticas debatidas têm como foco a capacitação da mulher, o questionamento de dogmas, bem como ações de equiparação de direitos entre os gêneros.

Para participar do simpósio comemorativo ao Mês Internacional da Mulher, é necessário inscrever-se pelo e-mail: mulher.comissaooab@gmail.com. De acordo com a presidente da Comissão da Mulher, o ingresso individual é um pacote de absorventes. “As arrecadações serão doadas para as mulheres encarceradas”, afirma.

 

Advogada há 30 anos, Simone é mestre em Direito Empresarial e atua com gestão feminina, além de realizar trabalhos sociais relacionados a mulheres. Como presidente da Comissão da Mulher da OAB, Simone destaca que o evento é aberto a todos os interessados. “É aberto ao público e esperamos não apenas mulheres advogadas, mas de outras profissões e homens também”, ressalta.

O simpósio será dividido em três partes, com início logo após a recepção. Na primeira mesa, às 16 horas, o tema será “Prerrogativa da Mulher Advogada”; na segunda mesa, às 18 horas, o tema será “O mundo do trabalho e questões de gênero”; na última mesa, às 19h30, o tema será “Lei Maria da Penha – Aspectos Cíveis e Criminais”.

O evento será no salão nobre da Casa do Advogado, que fica à avenida Independência, 3.347, no bairro dos Alemães. “É uma satisfação realizar esse evento. Pesquisadores identificam que se levarão 100 anos para que haja equiparação completa de igualdade entre os gêneros. Aqui na 8ª Subseção, que inclui Piracicaba e Charqueada, as mulheres são 51% dos inscritos, mas ainda temos funções na sociedade com predomínio masculino. Por isso, os debates são importantes”, analisa.

(Eliana Teixeira)