Como mensurar o trabalho do vereador?

O fechamento do ano parlamentar, naturalmente, impulsiona cada vereador à reflexões que auxilie a avaliar o desempenho do seu trabalho prestado à sociedade. A avaliação sustenta o planejamento do novo ano e atrai a imprensa a comparativos que, muitas vezes, são delicados.
 
O número de proposituras registradas anualmente, que em 2017 superou o expressivo número de 5 mil, representa a diversidade da atuação parlamentar e também o quanto a população de Piracicaba amplia sua percepção de que a Câmara é, e deve ser cada vez mais, uma ressonância de seus anseios.
 
São 23 vereadores, sendo duas vereadoras, que atuam em todos os campos da administração pública, da defesa da mulher, na defesa dos direitos das pessoas com deficiência, nas questões envolvendo a defesa do meio ambiente e a discussão sobre o território, fortemente nas questões envolvendo a saúde, a educação.
 
Em 2017, foi notória a maior participação das pessoas junto a Casa, seja nas audiências públicas, seja em reuniões de mandatos e mesmo durante as reuniões ordinárias. A Câmara entende que trata-se de um amadurecimento diante de todos os sinais que deu à sociedade de uma gestão mais aberta e disposta a ouvir.
 
Os números são um complemento destas atividades, um apoio à certeza de que a Câmara de Vereadores tem produzido muito além das proposituras, que são projetos, indicações e requerimentos propostos pelos vereadores.
 
Nestas proposituras estão a criação de importantes Fóruns de discussões pautados em 2017 pelos vereadores, reativados, como o caso da segurança pública, ou mesmo inéditos, como do empreendedorismo feminino, em Defesa da Unimep ou o Fórum Permanente de Saúde Mental e Combate à Dependência Química.
 
Mesmo aqueles projetos em que os vereadores enalteceram cidadãos, como os projetos de denominação de rua que, além da homenagem, leva cidadania às pessoas que antes sequer tinham um endereço correto, e as homenagens trouxeram o reconhecimento a pessoas que trabalharam por esta cidade e, ao serem reconhecidas, são estímulos para a construção de uma cidade permanentemente em evolução. 
 
Mensurar ou ranquear os resultados das atividades parlamentares pelos números é um caminho que afere resultados por critérios nem sempre justos. Vereadores têm perfis de atuação diferentes, o que não quer dizer que seus níveis de resolutividade dos problemas trazidos pela população sejam menores. 
 
Portanto, não é possível uniformizar critérios, a qualidade do trabalho do vereador, sua competência e capacidade de trabalho são medidas quando, ao final do mandato, ele busca ou não sua reeleição. Este é momento em que o critério de avaliação é eficaz, às vezes cruel, e que vai levar ao vereador a certeza de que seu trabalho foi bem feito e, principalmente, compreendido pela comunidade.
 
 
Matheus Erler é presidente licenciado da Câmara de Vereadores