Como o exercício pode ajudar a viver para pacientes com câncer

A cada ano aumenta o numero de pessoas que sobrevivem ao câncer e isso é uma tendência daqui para frente. No meses de Outubro e Novembro no Brasil, são feitas campanhas de conscientização para a prevenção e tratamento do câncer para a população.

O câncer para muitas pessoas é um diagnóstico de quase morte, mas esta realidade está mudando. Uma pessoa que possui a doença enfrenta os maiores desafios à sua saúde, primeiro por causa do impacto do diagnostico que mexe com toda a estrutura emocional da pessoa e da família e segundo pela perturbação no bem estar físico, enfrentando grandes mudanças na disposição física e na qualidade de vida.

Contudo o periódico Medicine and Science In Sports and Exercise acabou de fazer um grande relatório intitulado “Exercise guidelines for Cancer Survivors” que mostra que mesmo o exercício quando feito de forma continua e com poucos minutos por dia, pode ajudar as pessoas a sobreviver e vencer esta doença.

O câncer afeta quase 18 milhões de pessoas no mundo e é uma das doenças mais comuns da atualidade. Muitas pesquisas indiciam a mudança no estilo de vida e aumento do consumo de produtos industrializados como as principais causas da evolução da doença nos últimos anos. Mas a cada dia está mais tratável e com mais chances de sobrevivência.

O exercício é uma das principais recomendações por aumentar a força muscular, manter os níveis de massa muscular, mesmo em tratamento combatendo a fadiga física e melhorando os níveis de estresse, depressão e melancolia relacionados a doença.

A evolução da medicina avança a cada dia e para você ter uma noção do que estou falando, em 2003, minha avó veio a falecer de câncer de pulmão. Na época, eu recém formado, comecei a pesquisar os poucos estudos sobre exercício e câncer e vi que o exercício poderia fazer bem para a pessoa. Perguntei ao médico da minha avó se ela poderia fazer exercício, de forma controlada e orientado por mim, e o médico na época falou que era bom ela ficar parada sem fazer nada porque a quimioterapia debilitava muito a pessoa. Hoje os guias e muitos médicos que conheço indicam a atividade física como parte do tratamento sendo seguro para a grande maioria das pessoas com câncer e que elas devem tentar em geral ser ativas.

Acredito em um breve futuro que já saberemos as doses corretas de exercício para cada tipo de câncer e como ele vá ajudar a remissão da doença e de que forma. Mas hoje a recomendação é simples: Levante-se e mova-se. É tão simples e tão essencial. Levante-se e mova-se”. Até a próxima!