Confiança do Consumidor cresce 16% no ano, aponta pesquisa

inflação Pesquisa mostra que consumidor está mais otimista. (Amanda Vieira/JP)

O ICC (Índice de Confiança do Consumidor), apurado mensalmente pelo Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Piracicaba), voltou a crescer em julho. Na comparação com junho, o aumento foi de 7,4%; em relação ao mesmo período do ano passado houve alta de 16%, chegando a 118,3 pontos. Esse nível do ICC reflete otimismo do consumidor piracicabano tendo em vista que a pontuação varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), em relação ao comparativo anual, a alta se deve à melhora de algumas variáveis econômicas como queda na inflação e taxa de juros. “No resultado mensal, a confiança havia caído em junho por conta da greve dos caminhoneiros e agora se recupera”, explicou o presidente do Sincomércio Piracicaba, Itacir Nozella.

O levantamento do Sincomércio, mostra ainda que o Icea (Índice das Condições Econômicas Atuais) subiu 12,3% no mês e 72% na comparação com junho/17, chegando a 103,3 pontos. Já o IEC (Índice de Expectativas do Consumidor) subiu 4,9% no mês, mas recuou 1,1% em relação ao ano passado, somando 128,3 pontos. “É importante lembrar que o mês de junho fechou com retração de 6% no contexto geral devido a greve dos caminhoneiros, momento em que a população estava apreensiva. Agora, com tudo normalizado, o consumidor se mostra otimista e o empresariado vislumbra um futuro de estabilidade econômica, mesmo estando tão próximos as eleições”, disse Carlos Beltrame, secretário-executivo do sindicato.

O ICC é apurado mensalmente pelo Sincomércio Piracicaba desde fevereiro de 2017. Os dados são coletados com 601 consumidores no município. O objetivo é identificar o sentimento dos consumidores levando em conta suas condições econômicas atuais e suas expectativas quanto à situação econômica futura. “Este levantamento tem se mostrado importante por apontar tendências junto ao comércio local. Em meio a crise, vimos que muitos comerciantes seguraram investimentos e reduziram estoques, porém, agora é possível notar que muitos voltaram a exibir mais seus produtos, anunciar e divulgar seus produtos, isso mostra que a confiança na retomada econômica está acontecendo”, finalizou.

(Felipe Poleti)