Congresso institui dia do perdão

Cerca de um mês antes das eleições, em 30 de agosto, os brasileiros conhecerão o Dia Nacional do Perdão. A autora, deputada Keiko Ota (PSB-SP), redigiu a proposta com a cabeça longe de temas políticos. Ela perdeu o filho de 8 anos, Ives Ota, em 1997, vítima de sequestro e assassinato. A ideia do tributo, que é na data da morte de seu filho, é promover a cultura de “justiça e perdão”, disse. “O Brasil está sendo passado a limpo, o povo está consciente que está tendo justiça. Estamos num momento bom de espalhar a cultura da paz. E precisa escolher bem em quem vai votar, não é verdade?” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.