Conselho discute criação de rede de proteção à mulher

O Conselho Municipal da Mulher de Piracicaba promove reunião hoje, às 10h, na Câmara, para discutir a criação da Rede de Atendimento de Proteção à Mulher Vítima de Violência. A rede foi sugerida durante a mesa redonda realizada na Câmara, no Dia Internacional da Mulher. A presidente do conselho, Laura Maria Pires de Queiroz, informou que o objetivo é ampliar a melhoria da qualidade do atendimento, a identificação e o encaminhamento adequado nas situações de violência, além da humanização do atendimento. “É de extrema necessidade uma rede que se converse, dialogue e funcione, além de um banco de dados em que as informações se cruzem. Os serviços podem e deveriam fazer a notificação compulsória quando é identificada agressão na vítima, mas não faz, trabalham de forma individual. A mulher acaba sendo violentada duas, três, quatro vezes”, explica Laura. A promotora de justiça da Vara Cível, Maria Christina Marton Correia Seifarth de Freitas, reforçou, em nota, a importância de um banco. Segundo a advogada Luana Bruzasco, do coletivo Promotoras Legais Populares, diz que a sistematização das informações deveria ser feita pela notificação compulsória, para levantar e unificar os números de violência no município e ter um diagnóstico. (Claudete Campos)